WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

secom bahia

secom bahia

embasa


(74) 99106-4031

fevereiro 2021
D S T Q Q S S
« jan   mar »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  


:: fev/2021

Bolsonaro diz que auxílio emergencial pode voltar em março e durar até 4 meses

“A partir de março, três, quatro meses. É o que está sendo acertado com o Executivo e com o Parlamento”, disse Jair Bolsonaro após evento em Alcântara

Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (11) que o auxílio emergencial poderá retornar em março e durar entre três e quatro meses.

“Está quase certo, não sabemos o valor. Com toda a certeza, a partir de… Pode não ser, né. A partir de março, três, quatro meses. É o que está sendo acertado com o Executivo e com o Parlamento também, porque temos que ter responsabilidade fiscal”, declarou Bolsonaro após evento em Alcântara, no Maranhão.

Em meio ao aumento dos casos e à circulação da nova variante brasileira do coronavírus, Bolsonaro defendeu que o comércio volte a funcionar em sua normalidade. “Tem que acabar com essa histórica de ‘fecha tudo’. Devemos cuidar dos mais idosos e quem tem comorbidade. O resto tem que trabalhar. Caso contrário, se nos endividarmos muito, o Brasil pode perder crédito, daí a inflação vem, a dívida já está em R$ 5 trilhões, aí vem o caos, e ninguém quer isso aí”, afirmou.

Em 2020, o auxílio emergencial socorreu 68 milhões de cidadãos diretamente, totalizando um gasto público sem precedentes de mais R$ 300 bilhões em pagamentos. Os beneficiados receberam ao menos 5 parcelas de no mínimo R$ 600. Em setembro, o governo decidiu prorrogar o auxílio até dezembro no valor de R$ 300, mas redefiniu as regras e só 56% dos aprovados fora do Bolsa Família tiveram direito a receber mais 4 parcelas extras.

Exército arquitetou conspiração para instalar o poder militar

“O risco de uma regressão medieval de recorte militar-fascista no Brasil é muito real”, diz o colunista Jeferson Miola, após o general Eduardo Villas Bôas admitir que a prisão de Lula também foi ordem de militares ao STF

Estão dissipadas as dúvidas a respeito do papel das Forças Armadas no longo e secreto processo para a tomada de poder no Brasil por meio de um golpe de Estado “suave e silencioso”.

O general Villas Bôas confessou que a ameaça ao STF em 3 de abril de 2018 com o objetivo de emparedar a Suprema Corte para impedi-la de se decidir contra a prisão ilegal do Lula não foi uma decisão exclusiva dele, mas de todo Alto Comando do Exército, fato que é muito mais grave.

É uma decisão, portanto, institucional do Exército Brasileiro contra o Estado de Direito e a democracia. Os comandantes se arvoraram, arbitrariamente, o direito de atuarem como um Poder acima do poder civil concebido na Constituição de 1988. Numa democracia, tais comandantes militares estariam presos por sedição e atentado à ordem constitucional.

Os comandantes arquitetaram institucionalmente a conspiração contra o poder civil para instituírem no lugar um poder militar. Tudo no modo neogolpista ao estilo século 21, sem disparar um único tiro de fuzil e sem ocupar as ruas com tanques.

Na visão delirante e auto-elogiosa que fazem de si mesmos, eles reivindicam que desta vez regressaram ao poder pela via eleitoral [sic], como se fosse constitucional a participação deles na política. Daqui em diante, sentindo-se legitimados, não hesitarão em evoluir para uma “ditadura democraticamente eleita” [sic].

Pouco a pouco vai ficando comprovada e documentada a atuação conspirativa do Exército na dinâmica golpista que culminou na eleição do Bolsonaro à presidência para viabilizar a volta “democrática” dos militares ao poder.

Eleger Bolsonaro na eleição presidencial de 2018 era o projeto secreto acalentado pela cúpula militar desde muitos anos antes. O fascista-miliciano do Escritório do Crime ofereceu a eles popularidade e voto. E eles sempre souberam que estavam enganchados num miliciano-raiz, mas isso não foi obstáculo para seguirem o plano. Afinal, tratava-se de saquear um butim chamado Brasil.

Ainda não estão disponíveis estudos acerca da genealogia exata deste processo. É sabido, entretanto, que a politização e ideologização com forte conteúdo antipetista e anticomunista nunca deixou de acontecer nos quarteis, mesmo depois do fim da ditadura em 1985.

A partir do período final do governo Lula e durante o governo Dilma, generais que hoje estão em postos de poder – como Augusto Heleno, Mourão e outros – esticaram a corda para testar a reação do poder civil à movimentação militar em marcha. A impunidade os encorajou a seguirem o plano, esgarçando progressivamente os limites da ordem instituída.

Ainda está por ser desvelado como eles atuaram na espiral de desestabilização política do Brasil e na preparação da Lava Jato [2012, nas “jornadas” de 2013 e 2014]. Na despedida do Comando do Exército, em 11/1/2019, o general Villas Bôas curiosamente destacou Sérgio Moro/Lava Jato, junto com Bolsonaro e Braga Netto, como as “três personalidades que destacaram-se para que o ‘Rio da História’ voltasse ao seu curso normal” – ou seja, os heróis da libertação do Brasil do PT.

Um marco temporal do plano de poder dos militares é o dia 29 de novembro de 2014, quando Bolsonaro lançou-se candidato à presidência para a eleição de 2018 no pátio da AMAN [Academia Militar das Agulhas Negras]. Lá, ele foi ovacionado pelos aspirantes fardados com traje do Exército Brasileiro [EB] aos gritos de “líder!, líder!, líder!”. Segundo a letra da Constituição e das Leis, trata-se de um crime.

Este ato político-partidário ilegal [ou criminoso] de militares, que tem o agravante de ter sido promovido numa unidade militar, jamais teria acontecido sem o consentimento ou sem o conhecimento dos comandos superiores do Exército e das Forças Armadas. Assim como a participação do Bolsonaro, já presidente, nos atos terroristas que pediam o fechamento do Congresso e do STF na frente do Exército, em 19 de abril de 2020, foram consentidos pelo Comando do EB.

Os militares têm um projeto de poder militar. Eles voltaram dispostos a ficar no poder. Além de ministérios, estatais e empresas públicas, são mais de 11 mil militares comissionados em cargos e funções civis.

Hoje eles controlam instituições e poderes de Estado. Compraram a valores bilionários a maioria do Congresso corrupto que assegura a eles quórum para mudar a Constituição, como fizeram na aprovação da “independência” do Banco Central.

Além disso, os militares tutelam a PGR, a PF, o STF, os tribunais, as polícias militares estaduais etc. Enfim, tutelam todo poder judiciário. O anúncio do ministro Gilmar Mendes de que a suspeição do Moro não abrange todos processos do Lula, com o que o ex-presidente continuará inelegível em 2022, é resultado do arranjo em construção pela magistocracia com os estamentos castrenses. É tutela do judiciário na veia!

A confirmação de que o Exército Brasileiro institucionalmente opera para avançar seu projeto de poder militar, obriga a esquerda e os setores democráticos a enfrentarem, com absoluta centralidade, a questão militar.

A escalada militar é uma realidade inexorável. O risco do país evoluir para uma ditadura fascista-militar é rigorosamente concreto.

A confissão do general-conspirador Villas Bôas de que ele emparedou o STF com o respaldo de todo Alto Comando do Exército Brasileiro é sinal de que a realidade brasileira é mais aterrorizante que o pior dos piores pesadelos poderia sugerir.

A ameaça fascista no Brasil subiu de patamar com esta revelação. Não se trata mais de uma disputa entre a democracia e a ditadura, mas de uma guerra de vida ou morte entre o poder civil e o poder militar.

O risco de uma regressão medieval de recorte militar-fascista no Brasil é muito real.

 

Por 9 a 1, STF tem maioria para declarar que não existe direito ao esquecimento no Brasil

Pelo placar de 9 a 1, o  Supremo Tribunal Federal (STF)  decidiu nesta quinta-feira (11), a rejeição da existência do direito ao esquecimento no Brasil. Os ministros entenderam que a criação do instituto jurídico no país poderia botar em risco a liberdade de expressão.

Convergem em voto contrário à propostas os ministros Dias Toffoli, Kassio Nunes Marques, Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski . Já ministro Edson Fachin se posicionou favoravelmente. Luís Roberto Barroso se declarou impedido para analisar o tema e não votará.

A primeira a votar nesta quinta foi a ministra Cármen Lúcia, que se alinhou à maioria. A ministra recordou o período do regime militar e disse que a sua geração “lutou pelo direito de lembrar” e que tomar uma decisão no sentido contrário seria inadequado.

A magistrada sustentou que não faz sentido proibir a veiculação de um fato verídico e obtido licitamente. “É preciso que se ponha luz para que a gente verifique e não se repita”, disse.
O caso concreto debatido pelo plenário é um recurso movido por irmãos de Aída Curi, assassinada em 1958 no Rio de Janeiro. O programa Linha Direta, da TV Globo, exibiu, 50 anos depois, um episódio em que reconstituiu o crime.

Os familiares dela, que foi violentada e assassinada e cujo caso foi amplamente divulgado pela imprensa à época, pedem uma indenização ao canal de televisão.

Bahia remonta cenário de agosto, Covid-19 avança e supera 14 mil casos ativos

Os dados da pandemia na Bahia, atualizados nesta quinta-feira (11) pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) confirmam aumento no número de casos ativos da Covi-19 no estado, que subiram a 14.185. Desde o final de agosto à margem de ativos não alcançava os 14 mil. 

No acumulado, a Bahia já registrou 620.042 casos da doença, tendo sido 3.253 nas últimas 24h. Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (21,87%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (12.173,46), Itororó (10.788,93), Itabuna (9.908,41), Muniz Ferreira (9.444,89), Conceição do Coité (9.148,50).

O número de óbitos no período diário também avançou. O boletim desta quinta evidencia 47 notificações, ocorridas entre dezembro de 2020 e 10 de fevereiro. O total de óbitos em consequência do agravamento da Covid-19 na Bahia é de 10.543.

De acordo com a Sesab, foi identificada uma tendência de aumento do número de óbitos em virtude do crescimento de casos graves, o que tem ampliado a taxa de ocupação nas UTIs.  Nesta sexta-feira (12), serão abertos 20 novos leitos de UTI no Hospital Geral de Camaçari (HGC), “reduzindo assim, a pressão na rede assistencial da Região Metropolitana”, diz a pasta.

Até as 14h desta quinta-feira, conforme o boletim, 358.775 já foram vacinadas no estado. A Bahia é um dos estados brasileiros com o maior número de imunizados.

Bruno Reis: Chegada de novas doses da CoronaVac pode liberar as que estavam retidas

Bruno Reis: Chegada de novas doses da CoronaVac pode liberar as que estavam retidas

Foto: Jade Coelho/ Bahia Notícias

A chegada de mais doses da CoronaVac à Bahia, anunciada nesta terça-feira (2) pelo secretário da Saúde, Fábio Vilas Boas, permitirá a Salvador utilizar doses que foram retidas até agora para garantir o seguimento do programa de imunização. Foi o que disse o prefeito Bruno Reis, em evento que marcou o início do ano legislativo na Câmara Municipal de Salvador (CMS).

“Amanhã chega ao Brasil o IFA, que é o insumo que compõe a vacina e isso é a certeza da chegada de outras doses, muito provavelmente, na próxima semana. Então, já dá até pra gente utilizar aquelas que nós retivemos naquele momento. Vou fazer esse cálculo com base em todas as informações pra gente definir”, afirmou o gestor.

Prioritariamente, segundo Reis, serão imunizados contra a Covid-19 “os idosos acima de 74 anos e os outros trabalhadores da saúde”. Até o momento, 60 mil pessoas foram vacinadas em Salvador. A meta é ter 168 mil até o fim dessa primeira fase. Das 4 milhões de doses enviadas pelo Butantan ao Ministério da Saúde para distribuir por todo o Brasil, 230 mil serão destinadas à Bahia.

 

Fonte: Bahia Notícias

 

PRF apreendem quase 3 t de carvão vegetal e 89 aves em Itaberaba e outras 3 cidades

PRF apreendem quase 3 t de carvão vegetal e 89 aves em Itaberaba e outras 3 cidades

Foto: Divulgação/ PRF-BA

Em torno de 2,6 toneladas de carvão vegetal e 89 aves silvestres foram apreendidos em municípios do Piemonte do Paraguaçu e da Chapada Diamantina. Tanto o material como os pássaros eram vendidos de forma irregular. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF-BA), as apreensões ocorreram entre sábado (30) e domingo (31), mas foram informadas nesta terça-feira (2). Os casos foram flagrados nos municípios de Itaberaba, Iaçu, Boa Vista do Tupim e Andaraí.

Ainda segundo a PRF-BA, no caso do carvão vegetal, foram mais de 800 sacos apreendidos. O material foi encontrado em estabelecimentos comerciais prontos para a venda. No entanto, os responsáveis não tinham documentos fiscais e licenças ambientais necessárias para comercialização. Já as aves silvestres foram achadas em gaiolas pequenas, muitas delas em condições precárias de falta de higiene (cobertas com fezes e urina), sem água, com restrição de movimento, privação de luz e sem circulação de ar, ensejando condições evidentes de maus-tratos.

Feita em parceria com o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), as ações visam o combate a atividades que degradam o meio ambiente e causam impacto para a população que vive às margens do médio Paraguaçu. Com diversidade de fauna e flora, o território baiano também é rota de passagem para o Sudeste, o que facilita a ação de infratores. Em 2020, a PRF na Bahia resgatou 3.060 animais silvestres e mais 564 animais exóticos.

Fonte: Bahia Notícias

 

 

Vilas-Boas anuncia mais doses da Coronavac e alerta: nesse ritmo, vacinação vai durar anos

Vilas-Boas anuncia mais doses da Coronavac e alerta: nesse ritmo, vacinação vai durar anos

Foto: Divulgação

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, anunciou nesta terça-feira (2), por meio de seu Twitter, que a Bahia receberá mais 230 mil doses da CoronaVac na próxima sexta-feira (5). O Instituto Butantan deve entregar 3,2 milhões para o Ministério da Saúde distribuir para todo o Brasil. 

Entretanto, o representante da pasta ressaltou que a quantidade de imunizantes ainda é baixa. “Nesse ritmo levaremos anos para vacinar toda a população. Urge a ampliação da oferta pelo Governo Federal. Derrubar travas da Anvisa, fazer acordos comerciais com fabricantes, mesmo com aqueles ainda sem aprovação. Esse é o caminho”, escreveu.

Vilas-Boas ainda afirmou que os “profissionais de saúde, médicos e não médicos, dos hospitais e de fora, incluindo os dentistas” continuarão sendo contemplados pela vacinação. Os idosos entre 80 e 89 anos também começarão a receber a vacina.

Fonte: Bahia Notícias

 

 

 

Cobiçada pela Bahia, vacina Sputnik V tem eficácia de 91,6% contra Covid-19 em testes

Cobiçada pela Bahia, vacina Sputnik V tem eficácia de 91,6% contra Covid-19 em testes

Foto: Divulgação/ Sputnik V

A vacina Sputnik V, desenvolvida na Rússia, teve eficácia de 91,6% em casos mais leves da Covid-19 na aplicação de duas doses, apontaram resultados preliminares de um ensaio clínico da fase 3 do imunizante, publicados nesta terça-feira (2) na revista científica “The Lancet”, uma das mais respeitadas do mundo. A eficácia contra casos moderados e graves da doença foi de 100%.

A análise incluiu dados de 19.866 voluntários, que receberam a primeira e a segunda doses da vacina Sputnik V, ou seu placebo, entre os quais foram confirmados 78 casos de Covid-19. O estudo apontou que entre os 2.144 idosos com mais de 60 anos que participaram do estudo, a taxa de eficácia foi de 91,8% e, portanto, não diferiu estatisticamente do grupo de 18 a 60 anos.

Vale lembrar que o governo da Bahia tem acordo para distribuir e comercializar 50 milhões de doses da vacina no país. A aplicação emergencial do imunizante no Brasil, no entanto, não foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que exige a realização da fase 3 de testes por aqui para avaliar a eficácia da Sputnik V nos brasileiros. O estado ingressou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar obrigar a autoridade sanitária a analisar o pedido de autorização emergencial da vacina, mesmo sem que esta etapa dos estudos clínicos tenham ocorrido.

A vacina é a quarta a ter resultados publicados em uma revista, depois de Pfizer/BioNTech, Oxford/AstraZeneca e Moderna. Quando isso acontece, significa que os dados foram revisados e validados por outros cientistas

Nenhum efeito colateral sério foi associado à vacinação, e a maioria dos eventos adversos relatados foram leves – incluindo sintomas semelhantes aos da gripe, dor no local da injeção e fraqueza ou baixa energia. O ensaio continua em andamento, e objetivo é que os testes sejam feitos em um total de 40 mil participantes.

SPUTNIK V E SUA TECNOLOGIA

A Sputnik V usa a tecnologia de vetor viral. Nesse tipo de vacina, um outro vírus (nesse caso, o adenovírus) “leva” o material genético do coronavírus, o RNA, para dentro do nosso corpo. Mas esse adenovírus é modificado para não conseguir se replicar (reproduzir). Por isso, ele não causa doença.

No caso da Sputnik, o adenovírus que leva o coronavírus para dentro do corpo é diferente em cada dose: na primeira, é o Ad26 (mesmo da vacina da Johnson). Na segunda, é o Ad5, mais comum.

Fonte: Bahia Notícias

‘Chute terrível’: Pancada de Castán em Douglas ganha repercussão internacional

'Chute terrível': Pancada de Castán em Douglas ganha repercussão internacional

Foto: Reprodução/ WhatsApp

O chocante lance do último domingo (31) entre o zagueiro Leandro Castán, do Vasco, e o goleiro Douglas, do Bahia, não rendeu assunto somente no futebol brasileiro. Jornais e sites ao redor do mundo repercutiram o acidente que rendeu cinco pontos no rosto do arqueiro do Esquadrão de Aço.

O “La Gazzetta dello Sport”, da Itália, apontou a “Loucura de Castán”, que foi expulso após a revisão do lance no árbitro de vídeo. Já o “Marca”, tradicional periódico esportivo da Espanha, ressaltou o “chute terrível” sofrido pelo jogador do Tricolor.

Não ficou por aí. Veículos de Portugal, Argentina e Inglaterra também citaram o lance e disponibilizaram o vídeo aos seus leitores.

Apesar da dura pancada, o goleiro Douglas disse estar bem e espera estar recuperado para defender a meta do Bahia contra o Fluminense nesta quarta-feira (3), às 21h30, na Arena Fonte Nova. Com 36 pontos, o Esquadrão ocupa o 15º lugar.

Fonte: Bahia Notícias.

 

 

 

 

Brasil aplica 2 milhões de doses e é 8º no ranking de vacinação contra a Covid-19

Brasil aplica 2 milhões de doses e é 8º no ranking de vacinação contra a Covid-19

Foto: Reprodução/ Pixabay

O Brasil subiu de posição no ranking da vacinação contra a Covid-19. O pais já imunizou 2 milhões de pessoas e agora é o 8º no mundo com maior número de pessoas vacinadas. Os dados constam no levantamento desta segunda-feira (1º) do projeto “Our World in Data”.

No mundo já são 94 milhões vacinados contra a doença causada pela infecção do novo coronavírus.

O Brasil subiu da 12ª posição na quinta-feira (28) para a 8ª.

O país que mais vacinou até o momento são os Estados Unidos, onde 31,12 de pessoas foram imunizadas.

A segunda posição fica com a China (22,77 milhões), em seguida aparecem o Reino Unido (9,47 milhões), Israel (4,74 milhões), Índia (3,74 milhões), Emirados Árabes Unidos (3,33 milhões), Alemanha (2,32 milhões), Brasil (2,07 milhões), Turquia (1,99 milhão) e Itália (1,96 milhão).

Fonte: Bahia Notícias.


WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia