WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia



(74) 99106-4031

agosto 2020
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


:: ‘Polícia’

Japonês da Federal é condenado a perda de cargo por facilitar contrabando

O agente da Polícia Federal Newton Hinedori Ishii, conhecido como o “japonês da federal”, foi condenado a perda do cargo público e a pagar multa de R$ 200 mil por facilitação de contrabando. A condenação foi proferida pelo juiz Luis Ruivo Marques, da 1ª Vara da Justiça Federal de Foz do Iguaçu. 

Foto: Divulgação

Ishii foi condenado por envolvimento em uma quadrilha composta por 22 agentes da PF, quatro servidores da Receita Federal e dois policiais rodoviários federais. Eles atuariam em um esquema de facilitação de contrabando pela fronteira entre Brasil e Paraguai. Na decisão, o juiz ressalta que o réu escolheu o tipo de mercadoria que aceitaria facilitar e, “ainda, fixou o preço da propina a ser cobrada pela omissão na atribuição de combater o crime que lhe foi conferida pelo Estado”.

O magistrado citou ainda um telefonema interceptado com autorização judicial em que o agente informa a placa de um veículo para que um policial corrupto deixe de fiscalizar ou simule a fiscalização, beneficiando a quadrilha de contrabando.

Caso Marielle: polícia prende bombeiro que teria cedido carro para esconder armas de Lessa, acusado de matar vereadora

Maxwell Corrêa: em março de 2019, logo após as prisões de Lessa e Élcio de Queiroz, polícia cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do bombeiro, num condomínio de alto padrão no Recreio dos Bandeirantes

Apontado como cúmplice do sargento da reserva da Polícia Militar Ronnie Lessa, acusado de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes, o cabo do Corpo de Bombeiros Maxwell Simões Corrêa, o Suel, foi preso, na manhã desta quarta-feira. Ele foi localizado num condomínio no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Suel já estava na mira da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio (MPRJ) desde a prisão de Lessa e do ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, em março do ano passado. De acordo com os investigadores, coube ao bombeiro ajudar, logo após a prisão do sargento, no descarte das armas escondidas por Lessa.

O bombeiro é acusado de ter cedido um carro para a quadrilha de Lessa esconder as armas por uma noite, logo após a prisão do sargento, antes de um de seus comparsas, Josinaldo Freitas, o Djaca, recolhê-las e jogá-las no mar para evitar a apreensão. Uma das armas, cogita a polícia, pode ter sido usada no ataque a Marielle. O veículo de Suel ficou estacionado no pátio do supermercado Freeway, na Barra da Tijuca. Suel tentou plantar falsas testemunhas para esconder a propriedade do carro, mas os investigadores conseguiram desmenti-las.

Julgamento do pedido de federalização

No fim de maio, a 3ª Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, por unanimidade, que o Caso Marielle continuasse sendo investigado pelo MPRJ e pela Polícia Civil. No Incidente de Deslocamento de Competência (IDC), cuja votação ocorreu há duas semanas, ficou decidido pela não federalização das investigações, ou seja, que o caso não ficasse a cargo do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. O IDC tinha sido suscitado pela ex-procuradora-geral da República, Rachel Dodge, em seu último dia no cargo, em 17 de setembro do ano passado.

Componentes de fuzil recolhidos

Os investigadores suspeitam que, além da caixa retirada do apartamento, os comparsas de Lessa recolheram outros componentes de fuzil espalhados por esconderijos do sargento. Como seriam lançados ao mar na manhã do dia seguinte, tiveram de pernoitar dentro do carro cedido por Suel e estacionado no supermercado. Dali, foram levadas para o Quebra-Mar, de onde Djaca partiu para descartar as armas, de acordo com as investigações.

A prisão de Suel foi decretada pelo juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da 19ª Vara Criminal, onde o processo de obstrução da investigação relacionado ao descarte de armas de Lessa tramita. Outro processo, que corre na 40ª Vara Criminal, responsabiliza Lessa pelas centenas de peças de fuzis encontradas na casa de Alexandre Motta, amigo de infância do sargento reformado da PM, em 12 de março de 2019, mesmo dia da prisão do acusado de matar a parlamentar e seu motorista. Motta também chegou a ser preso, mas conseguiu um habeas corpus. Em depoimento, ele contou que Lessa havia lhe pedido para guardar as caixas fechadas, sem que soubesse o conteúdo delas, no caso, o armamento apreendido.

Prender Suel era uma questão de tempo, segundo os investigadores, que não tinham dúvidas sobre o envolvimento cabo na quadrilha liderada por Lessa. Faltava colher as provas para sustentar o pedido de prisão. De acordo com as investigações, Suel sempre foi o principal parceiro do sargento reformado Ronnie Lessa nos negócios ilícitos, especialmente na exploração de atividades da milícia em Rocha Miranda e imediações, na Zona Norte do Rio, onde ambos se conheceram nos anos 1990.

Suel é a quinta pessoa presa por causa do sumiço das armas. Em outubro do ano passado, a Polícia Civil e o MP cumpriram mandados de prisão contra a mulher do sargento, Elaine Lessa, o cunhado dele, Bruno Figueiredo, Márcio Montavano e Josinaldo Freitas. Na ocasião, eles foram acusados de obstrução de Justiça, porte de arma e associação criminosa. Segundo a Polícia Civil, o grupo teria ocultado armas usadas pelo grupo de Ronnie Lessa, entre elas a submetralhadora HK-MP5, que supostamente teria sido usada para matar Marielle e Anderson.

Em outubro, após a prisão de Elaine e dos outros três envolvidos, a promotora Letícia Emile, do Gaeco, explicou que o apartamento de Lessa já havia sido esvaziado quando foram cumpridos os mandados de busca e apreensão, no dia seguinte à prisão de Lessa. De acordo com Letícia, “o Márcio (Montavano), poucas horas antes, teria retirado de lá uma caixa enorme”. O cunhado do sargento, conclui a investigação, foi quem deu o comando para que tudo fosse retirado de lá. “Josinaldo”, diz texto, “teria sido acionado para se desfazer de todas as bolsas. Ele contratou um barqueiro para levá-las a alto-mar”, contou a promotora.

Desde então, o MP e a Polícia trabalham com a possibilidade de que outras caixas com armas teriam sido escondidas. Foram feitos 28 mergulhos para procurar os armamentos no mar, sem resultados.

Outros alvos da polícia

Além de Suel, os investigadores chegaram a outros três parceiros de Lessa em negócios ilícitos: os policiais militares da ativa Pedro Bazzanella e Maurício da Conceição Júnior. O primeiro chegou a prestar depoimento no dia 1º de fevereiro de 2019, na DH, no mesmo dia de Élcio, antes que este fosse preso. Na ocasião, os investigadores fizeram o monitoramento da dupla, seguindo-os da delegacia até o ponto de encontro deles com Ronnie Lessa, no Bar e Restaurante Resenha. O grupo foi fotografado pela equipe da DH e, segundo o relatório de Giniton sobre o caso, os três teriam combinado o que falariam na delegacia, antes e depois do depoimento.

O relatório com as imagens do encontro foram anexadas ao processo. Em certo trecho da denúncia do Gaeco, a promotoria classifica o encontro: “ Tal proceder se revela assaz preocupante, denunciando indícios de manipulação de depoimentos”.

A denúncia aponta ainda que Élcio chega a falar, em seu depoimento, que se encontrou com Bazzanella antes, mas não revela que Ronnie Lessa estava presente. Bazzanella também, por sua vez, omite a presença do sargento reformado da PM em seu depoimento. Além disso, ele voltou ao bar onde permaneceu por mais de uma hora, “restando inconteste que o denunciado (Lessa) acompanha, de perto, a investigação policial do caso Marielle”.

Os investigadores também encontraram fortes indícios de que Carlos Eduardo de Almeida da Silva, o Cadu, e Márcio José Rosa de Carvalho pertencem à organização criminosa de Ronnie Lessa, que atua como chefe do bando. O próprio fato de os integrantes se reunirem com Lessa no antigo Bar e Restaurante Resenha já demonstraria essa formação hierárquica. Diálogos captados em interceptações telefônicas e informações advindas de quebras de sigilo de dados telemáticos (pelas contas de provedores da internet) revelaram a relação entre eles.

Fonte: Yahoo

Governador do Pará, Helder Barbalho é alvo de busca em operação da PF sobre compra de respiradores

A Polícia Federal realiza na manhã desta quarta-feira (10), a Operação Bellum, que tem como objetivo apurar a existência de fraude na compra de respiradores pulmonares pelo governo do Pará para ajudar no combate ao coronavírus. São 23 mandados de busca e apreensão no Pará e mais seis estados. Um dos alvos de busca é o governador Helder Barbalho (MDB). Além dele, os sócios da empresa investigada e servidores públicos estaduais são investigados. As buscas foram realizadas nas residências dos investigados, em empresas e, também, no palácio dos despachos, do governo, e nas secretarias de estado de Saúde, Fazenda e Casa Civil do estado do Pará. Indícios levantados pela Procuradoria-Geral da República apontam que o governador tem relação próxima com o empresário responsável pela concretização do negócio. Mostram, ainda, que sabia da divergência dos produtos comprados e da carga de ventiladores pulmonares inadequados para o tratamento da Covid-19 que foi entregue ao estado. Além do contrato dos respiradores, a organização ligada a este empresário foi favorecida com uma outra contratação milionária, cujo pagamento também foi feito de forma antecipada, no valor de R$ 4,2 milhões. Em nota, o governo do estado diz que “reafirma seu compromisso de sempre apoiar a Polícia Federal no cumprimento de seu papel em sua esfera de ação” e destaque que o “recurso pago na entrada da compra dos respiradores foi ressarcido aos cofres públicos por ação do Governo do Estado”. O governo também afirma que “entrou na justiça com pedido de indenização por danos morais coletivos contra os vendedores dos equipamentos.”

 

Conquista: Jovem é encontrado morto dentro de residência na região do Alto da Colina

Jovem encontrado morto em Conquista

O corpo de um jovem, ainda não identificado, foi encontrado dentro de uma residência na região do Bairro Alto da Colina, em Vitória da Conquista.

O Departamento de Polícia Técnica se deslocou até o local e uma perícia será feita para descobrir a causa da morte.

O jovem era muito conhecido no bairro.

A qualquer momento mais informações.//Blog do Rodrigo Ferraz

Conquista: Tiros e correria no terminal de ônibus da Lauro de Freitas; um homem foi preso

Confusão e muita correria no ‘coração’ de Vitória da Conquista, no terminal de ônibus da Avenida Lauro de Freitas.

Segundo informações de testemunhas, disparos de arma de fogo foram feitos no local. Três homens, um deles armado, tentaram roubar uma moto. A vítima teria reagido e a arma acabou sendo disparada. Um dos bandidos foi preso.

Um ônibus da Viação Rosa foi atingido.//Blog do Rodrigo Ferraz

Conquista: Acidente envolve 6 veículos na BR-116, próximo a Lagoa das Flores

Acidente na Br-116

Houve um acidente na manhã de hoje (28), por volta das 11h, envolvendo 6 veículos na localidade Lagoa das Flores. Não houve vítimas. Causa: o trânsito parou e o caminhão, que não guardava distância de segurança, não conseguiu frear, colidindo na traseira do Corolla que foi empurrando os demais veículos.// Blog do Rodrigo Ferraz

Acidente na Br-116

Poções: Duas pessoas são presas por tráfico de drogas

A 79ª CIPM prendeu duas pessoas tarde de ontem, segunda-feira (25) por tráfico de drogas no município de Poções, distante 19 km de Planalto.

Enquanto empreendia rondas ostensivas pela BR 116, a guarnição avistou um homem em atitude suspeita e procedeu com abordagem. O mesmo estava com duas porções de crack e informou ter comprado com a proprietária de um bar naquelas imediações.

De posse da informação, a guarnição deslocou até o bar, conhecido como “Bar entre amigos” em abordagem ao estabelecimento, encontrou três aparelhos celulares e a quantia de R$ 4.481,30 (quatro mil e quatrocentos e oitenta e um reais e trinta centavos).

Os envolvidos e todo o material apreendido foi encaminhado às autoridades competentes para a adoção das medidas cabíveis.

Fonte: 79ª CIPM

Planalto: Três pessoas ficam feridas em acidente na zona rural

No início da noite de ontem, domingo (24), um acidente de trânsito foi registrado em uma estrada vicinal que interliga a comunidade de Baixa do Facão à Planalto.

De acordo com informações passadas ao Blog Plantão Planalto, a condutora acabou perdendo o controle da direção e desceu uma ribanceira, próximo a barragem dos Bodes.

No veículo, haviam três pessoas. A motorista foi identificada pelo pré-nome de Marília, já os outros ocupantes não tiveram suas identidades divulgadas.

As vítimas foram socorridas e encaminhadas ao Hospital Municipal Nilton Ferreira dos Santos. De acordo informações, Marília quebrou a clavícula. Os outros tiveram apenas ferimentos leves.

O veículo ficou bastante destruído.

Não se sabe as verdadeiras causas do incidente.

José Maria Marin é banido do futebol

A Câmara de Julgamento do Comitê de Ética da Fifa anunciou nesta segunda-feira (15), que baniu o brasileiro José Maria Marin do futebol por violação do Código de Ética da entidade . O ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) foi considerado culpado por participar de esquema de recebimento de propinas entre 2012 e 2015. Marin também foi condenado a pagar multa de 1 milhão de francos suíços (R$ 3,86 milhões).

Segundo a investigação, Marin recebeu suborno por contratos de direitos de TV de competições de Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), Concacaf (Confederação das Américas do Norte, Central e do Caribe de Futebol) e CBF.

Sob protestos da oposição, Câmara aprova reforma administrativa da prefeitura

A Câmara de Vereadores aprovou em plenário nesta quarta-feira (10) o projeto se reforma administrativa da prefeitura de Salvador. A votação aconteceu sob protestos da bancada de oposição, que questiona a tramitação da proposta nas comissões da Casa.

Integrantes da oposição alegam que os vereadores Sidninho (Pode), Toinho Carolino (Pode), Marta Rodrigues (PT) e Hélio Ferreira (PCdoB) não devolveram o projeto às comissões de Finanças e de Transportes após pedirem vista da matéria na sessão da última segunda (8).

A reforma administrativa da prefeitura de Salvador inclui a criação Conselho Municipal de Promoção e Defesa dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CMLGBT). Além disso, altera funções e responsabilidades de secretarias.

Além de criticar a tramitação da proposta,  vereadores criticam a criação de cargos na estrutura da prefeitura. Na estimativa do vereador César Leite (PSDB), que é da base do prefeito ACM Neto, mas votou contra a reforma, eles criariam uma despesa anual de pelo menos R$ 5 milhões para os cofres municipais



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia