WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

secom bahia

secom bahia

embasa



(74) 99106-4031

junho 2022
D S T Q Q S S
« maio    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  


Após acusação de promover pedofilia em filme, Danilo Gentili se pronuncia: ‘Sigo rindo’

Foto: Reprodução/Instagram

A hashtag #PedofiliaNaNetflix ficou em alta nos assuntos mais comentados do Twitter neste fim de semana, após os telespectadores notarem um filme nacional no catálogo da plataforma.

Os internautas estão acusando o filme “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”, com roteiro Danilo Gentili e participação de Fábio Porchat, de promover pedofilia. 

Na cena em discussão, o personagem de Fábio Porchat sugere que duas crianças toquem em seu órgão genital e chega a pegar a mão de uma das crianças no filme.

Após as acusações e pronunciamentos de autoridades parlamentares, Gentili se pronunciou em seu perfil no Twitter dizendo que se orgulha de desagradar na mesma intensidade petistas e bolsonaristas.

“Os chiliques, o falso moralismo e o patrulhamento: veio forte contra mim dos dois lados. Nenhum comediante desagradou tanto quanto eu. Sigo rindo”, escreveu Gentili

Fonte: Bahia Notícias

MBL rompe com Moro depois das críticas do ex-juiz a Mamãe Falei

Membros do MBL abandonaram campanha virtual de Moro e assessores do ex-juiz admitem a aliança está enterrada

247 – As críticas do ex-juiz suspeito Sergio Moro ao deputado Arhur do Val (Mamãe Falei) depois de seus áudios sobre refugiadas ucranianas saírem a público, o Movimento Brasil Livre (MBL) rompeu com o pré-candidato e deixou a campanha. Por enquanto, tanto o ex-juiz quanto o MBL, que tem em Mamãe Falei um de seus principais líderes, dizer que o assunto “é página virada e que seguirão juntos nas eleição de 2022”. Nos bastidores, porém, os líderes do movimento de extrema direita atuam contra a candidatura de Moro. A informação é da colunista Bela Megale.

Membros do MBL atuavam especialmente na estratégia da Moro nas redes sociais, mas, desde que as gravações do  “Mamãe Falei” vieram à tona, eles abandonaram a campanha.

Na campanha de Moro, também há a certeza de que a parceria com o MBL “foi pro vinagre” e que o movimento “está fora do jogo”. Essas palavras foram usadas por membros do núcleo duro do entorno ex-juiz a Bela Megale. “Moro, porém, resiste em comprar mais essa briga publicamente e seguirá evitando tratar do tema o quanto puder, apesar de sabe que o MBL não está mais entre seus aliados”, escreveu a jornalista.

 

Parlamentares do Psol pressionam Boulos a disputar vaga na Câmara, mas ele diz que vai até o fim

247 – “Aumenta a pressão entre parlamentares do Psol para que o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos, retire a sua candidatura ao governo de São Paulo e se lance como candidato a deputado federal”, informam os jornalistas Raphael Di Cunto e Marcelo Ribeiro, em reportagem publicada no Valor Econômico. “A mudança na candidatura serviria para Boulos ter um papel de destaque no Congresso num eventual governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e também para ajudar o partido a superar a cláusula de barreira em 2022, o que está fazendo inclusive o Psol estar quase fechado numa federação com o Rede”, apontam ainda os repórteres.

Entretanto, Boulos diz que irá até o fim e que vai manter seu nome na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. “Essas especulações [de desistência] têm sido fomentadas para minar nossa candidatura”, diz ele. “O líder do MTST planeja concorrer ao governo paulista, mas a disputa tende a se dar entre o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), o vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB) ou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, ainda sem partido, mas escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para ser o seu candidato em São Paulo”, preveem os jornalistas do Valor.

247

Paulo Coelho sobre russofobia: “crise na Ucrânia é uma desculpa conveniente”

Escritor Paulo Coelho (Foto: Divulgação)

247 – O escritor Paulo Coelho criticou, nesta sexta-feira (11), a russofobia – aversão ao povo russo que vem crescendo estimulada principalmente pelos Estados Unidos e pela Europa em um contexto de guerra entre Rússia e Ucrânia.

“A crise na Ucrânia é uma desculpa conveniente para a russofobia”, escreveu Coelho em inglês – boa parte do seu público é de fora do Brasil.

A Meta, controladora do Facebook, permitirá que usuários da rede social peçam violência contra a população russa e soldados do país euroasiático. A Procuradoria-Geral da Rússia exigiu que a Meta seja reconhecida como uma organização extremista.

As ações militares russas em solo ucraniano começaram no dia 24 de fevereiro. A Rússia é é contra a entrada da Ucrânia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), liderada pelos Estados Unidos, que tentam ampliar a influência na Europa.

Nesta sexta, o presidente dos EUA, Joe Biden, subiu o tom contra o governo russo, comandado por Vladimir Putin e disse que um confronto entre a Rússia a Otan pode ter como consequência uma terceira guerra mundial.

Divididos entre Lula e Bolsonaro, senadores do PSD rejeitam Leite

Eduardo Leite (Foto: Reprodução)

Senadores disseram ao presidente do partido, Gilberto Kassab, que ainda é cedo para falar na candidatura do atual governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite

247 – Senadores do PSD estão rejeitando a candidatura do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que saiu do PSDB para ser candidato à presidência — e busca negociar com o PSD o lançamento de sua candidatura.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, os parlamentares disseram ao presidente do partido, Gilberto Kassab, que ainda é cedo para falar na candidatura de Leite.

O Painel da Folha destacou que a conversa ocorreu na noite de quarta-feira, 9, quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), anunciou a desistência de disputar o Palácio do Planalto.

De acordo com o líder da bancada do PSD, Nelsinho Trad, o partido está dividido entre apoiar Jair Bolsonaro (PL) ou o ex-presidente Lula (PT). Outros setores defendem lançar candidatura própria para ‘empunhar sua bandeira’, pois o partido está completando 10 anos.

247

Governadores vão ao STF contra mudança no ICMS dos combustíveis

(Foto: Divulgação | Reprodução)

Wellington Dias, coordenador do Fórum dos Governadores, disse que o projeto como foi votado no Congresso “é inconstitucional”

Metrópoles – O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), coordenador do Fórum Nacional de Governadores, anunciou, nesta sexta-feira (11/3), ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a alteração no ICMS dos combustíveis aprovada pelo Congresso Nacional.

Atualmente, o ICMS sobre combustíveis varia de estado para estado e é calculado em toda a cadeia de distribuição, e sobre um preço médio na bomba. A proposta, que teve a aprovação concluída na madrugada desta sexta-feira, diz que deve ser estipulado um valor fixo nacional de ICMS a ser cobrado por litro de combustível.

“O projeto do jeito que foi votado é inconstitucional, e vamos ao STF evitar prejuízo para o nosso povo”, afirmou Dias. “A Casa da federação, o Senado, trabalhou contra a federação, contribuindo para desorganizar a federação. Do [presidente Jair] Bolsonaro já era esperado, mas do Senado?”

247

Alckmin volta a negociar com PV após PSB desistir de formar federação com PT

Alckmin teve uma nova reunião com o presidente do PV, José Luiz Penna

CartaCapital – Após o PSB desistir da federação com o PT, o ex-governador Geraldo Alckmin teve uma nova reunião com o presidente do PV, José Luiz Penna, na tarde desta sexta-feira 11, em São Paulo, na sede do partido.

Ao Estadão, Penna afirmou que cresceu a possibilidade de o ex-tucano se juntar à legenda: “Nessa quarta-feira, o PSB revelou que não vai para a federação. Acho que diante do quadro aumenta nossa chance de ter o governador nas nossas hostes”.

Leia a íntegra na CartaCapital.

Jerônimo Rodrigues é confirmado como candidato do PT ao governo do estado

O secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, foi confirmado, na tarde desta sexta-feira (11), após uma reunião da executiva estadual do PT, como o pré-candidato do partido ao governo da Bahia nas eleições de outubro. De acordo com o presidente da sigla no estado, Éden Valadares, a escolha foi unânime.

Na quinta (10), o Bahia Notícias já havia antecipado que o nome do secretário da Educação seria o escolhido pelo partido, após o governador Rui Costa (PT) e o senador Jaques Wagner (PT) chegarem a um acordo sobre a candidatura (veja aqui).

Jerônimo é engenheiro agrônomo e, desde 1995, professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Ele chegou ao governo do estado já em 2007, no primeiro mandato de Wagner, como Assessor Especial da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Em 2010, Jerônimo se tornou Assessor Especial da Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia. Depois, também foi membro do Conselho Nacional de Economia Solidária, do Conselho Curador da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), do Conselho do Fundo de Combate à Pobreza do Estado e do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Baiano.

Entre 2015 e 2018, o novo candidato petista ao governo da Bahia foi secretário estadual de Desenvolvimento Rural. Em fevereiro de 2019, Jerônimo assumiu enfim a Secretaria da Educação, onde está até o momento.

Jerônimo Rodrigues deve ser confirmado como candidato do PT ao governo

Foto: Bahia Notícias

O martelo sobre o nome do PT na disputa ao governo da Bahia pode já ter sido batido: Jerônimo Rodrigues. De acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, com interlocutores da legenda, o atual secretário de Educação da Bahia irá encabeçar a chapa que buscará manter o grupo liderado pelo PT no poder. 

Segundo um dos participantes das negociações para a confirmação do nome de Jerônimo, as instâncias nacionais do PT não tiveram relação com a decisão. Toda a costura teria sido feita no diretório estadual. Apesar da vontade do governador Rui Costa (PT) ter prevalecido frente ao desejo inicial do senador Jaques Wagner (PT), teria existido um acordo entre ambos para o fechamento do candidato. 

Outros dois nomes disputavam a vaga na cabeça de chapa: o secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano, e a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho – esta última considerada a carta de Wagner na disputa. Caetano, inclusive, chegou a figurar como favorito por ser um intermediário entre os dois grupos. O titular da Serin, todavia, teve que escolher entre a campanha da companheira, Ivoneide, a Câmara dos Deputados e a corrida pelo governo, terminando a disputa interna ao ceder apesar do favoritismo. O acordo para que Jerônimo fosse alçado à condição de candidato petista foi selado com o aval tanto do governador quanto do senador, que teriam interesses distintos ao longo dos últimos dias. 

Cotado para encabeçar a chapa governista para a eleição da Bahia em outubro, o secretário estadual de Educação, Jerônimo Rodrigues, recebeu afago até do prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), mas reafirmou que está focado em sua atuação na secretaria (veja mais).

Com tantas incertezas para definir quem realmente irá encabeçar a chapa do Partido dos Trabalhadores (PT) na disputa pelo governo baiano, os possíveis nomes do PT para o governo revelaram ao BN que estavam prontos e com ‘tesão’ para a disputa. Apesar disso, defenderam a unidade do grupo (reveja aqui). 

Não há informações sobre a oficialização do nome do secretário na disputa. A estimativa é que a chapa seja anunciada por Rui até o próximo dia 13. (Atualizado às 16h28)

Fonte: Bahia Notícias

Líder da greve dos caminhoneiros de 2018 diz que ‘Brasil tem que parar’ em protesto contra novo aumento dos combustíveis

“Ninguém vai aguentar”, disse Wanderlei Alves, o Dedeco. Para ele, a guerra Rússia-Ucrânia está servindo como “desculpa para enriquecer ainda mais os donos da Petrobrás”

247 – O caminhoneiro Wanderlei Alves, conhecido como Dedeco, um dos principais líderes da greve da categoria em 2018, disse que o Brasil tem que parar em protesto contra o novo aumento no preço dos combustíveis, anunciado nesta quinta-feira (10) pela Petrobrás.

“Os caminhoneiros autônomos e os empresários de transporte têm que se unir e parar o país. Ninguém vai aguentar. As transportadoras que têm 500, mil caminhões, com milhares de funcionários para pagar, vão quebrar”, disse Dedeco à coluna da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

Com o novo aumento anunciado pela Petrobrás, o preço médio da gasolina comercializado nas refinarias da estatal passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 o litro, um aumento de 18,77%. Para o diesel, o valor irá de R$ 3,61 a R$ 4,51, alta de 24,9%, e o gás de cozinha passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por quilo, um reajuste de 16%.

Segundo Dedeco, o conflito entre a Rússia e a Ucrânia está servindo como “desculpa para enriquecer ainda mais os donos da Petrobrás”. “Eles já tiveram um lucro absurdo, doentio com os aumentos mais recentes, e estão ficando milionários às custas da tragédia de todos nós. Só quem está feliz hoje no país são os investidores da Petrobrás”, afirmou.

O caminhoneiro alertou, ainda, que o setor de transporte é o primeiro a sentir o impacto, mas ressaltou que os custos serão  repassados e chegarão “nas gôndolas dos supermercados, em todos os produtos”, alcançando o restante da população.

Mais cedo, pouco antes do anúncio feito pela Petrobrás, Jair Bolsonaro disse não saber se haveria ou não um aumento nos preços dos combustíveis e alertou que o Brasil poderá “ter problemas” no setor.

“Não estou dizendo se vai ou não vai, eu acho que vai aumentar. No mundo todo aumentou. Eu não defino preço na Petrobrás, eu não defino nada lá. Só quando tem problema cai no meu colo”, disse ele, em transmissão feita pelas redes sociais. “Agora, a tendência é melhorar lá fora. Mas vai ter problema de combustível no Brasil, não vai demorar”, completou.

247



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia