WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

sesab bahia



(74) 99106-4031

outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Toffoli retira 2ª instância da pauta

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, retirou da pauta da Corte o julgamento de ação sobre a prisão de condenados em segunda instância, que estava agendado para a próxima semana, acatando pedido da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), informou o gabinete do ministro nesta quinta-feira (4).

A pauta de julgamentos previstos para o primeiro semestre deste ano, divulgada em dezembro de 2018, previa para 10 de abril o julgamento da possibilidade de se determinar a prisão de condenados em segunda instância sem direito a recurso.
A ação tem implicação direta no caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso desde abril de 2018 após condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, mas que ainda tem recursos pendentes de julgamento no Supremo e no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

WhatsApp impedirá que nos adicionem indiscriminadamente a grupos

Usuário poderá escolher quem pode incluí-lo em um grupo: “Qualquer pessoa”, “Meus contatos” ou “Ninguém”

Isso já aconteceu com todos nós: você é adicionado, sem ser consultado previamente, a um grupo de WhatsApp do qual realmente não tem interesse especial em participar, e o pesadelo começa. Dependendo da natureza e dos membros, um grupo de mensagens pode ser um deserto de paz e silêncio, ou, pelo contrário, um verdadeiro pesadelo, que não temos outra escolha a não ser silenciar. Infelizmente, são tantos os grupos que assediam determinados usuários que muitos decidiram adotar decisões drásticas para mantê-los na linha. Pois bem, o WhatsApp pôs fim a esse assédio de forma oficial.

Escolher em qual grupo estar

Em uma entrada no blog oficial da empresa intitulada “Novas configurações de privacidade nos grupos”, o WhatsApp anuncia uma nova função na qual se dá mais controle ao usuário da plataforma na hora de ser adicionado a um grupo. “As pessoas optam pelos grupos para manter conversas importantes e nos pediram mais controle sobre essa experiência”, diz a empresa na entrada do blog para anunciar uma bateria de medidas com as quais será colocado um limite, finalmente, aos abusos dos grupos.

Isso significa que será declarada guerra aos temidos e adorados grupos do WhatsApp? Muito pelo contrário. A empresa do guarda-chuva do Facebook permitirá que o usuário determine seu nível de permeabilidade aos mesmos: a partir de hoje, cada usuário pode escolher quem pode adicioná-lo a um grupo por meio de configurações de privacidade em três níveis: “Qualquer pessoa”, “Meus contatos” e “Ninguém”. A primeira alternativa mantém a situação atual por defaut: qualquer pessoa que tiver nosso número poderá nos incluir em um grupo; a segunda, somente os usuários que estiverem na nossa lista de contatos da plataforma, e a mais radical (e possivelmente mais interessante), a última: que obriga a aprovar as inclusões nos grupos uma a uma.

Essa nova função será implantada gradativamente “durante as próximas semanas” entre os assinantes do aplicativo de mensagens que, uma vez que estiver disponível, poderão configurá-lo acessando Configurações/Conta/Privacidade/ Grupos e ali determinar seu nível de disponibilidade em relação aos mesmos.

Neto de Lula não morreu de meningite

Um mês depois da morte, laudo de exames realizados pelo Instituto Adolfo Lutz descartam todos os tipos de meningite como causa do óbito de Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos

O laudo de exames feitos em Arthur Araújo Lula da Silva, neto do ex-presidente Lula, descartou todos os tipos de meningite como causa da morte da criança de sete anos há um mês, como havia informado o Hospital Bartira, da rede D’Or. Arthur morreu na tarde do primeiro dia de março, após dar entrada no hospital com náuseas, febre e dores abdominais. O resultado negativo para a doença acusada foi confirmado pela Prefeitura de Santo André.

“Apesar da notificação, o resultado do exame de líquor realizado no mesmo dia pelo próprio Hospital Bartira, acusou bacterioscopia negativa”, diz a nota da Prefeitura de Santo André, sem informar o motivo que levou a criança a morrer. “Informações adicionais relacionadas ao caso dependem da autorização expressa da família”, acrescenta o comunicado, divulgado nesta terça-feira, 2 de abril.

Por volta das 7h do dia 1 de março, Arthur foi levado para o Hospital Bartira com febre e dores abdominais. Já no hospital, passou a apresentar confusão mental e morreu por volta de meio dia. No dia, o hospital informou meningite meningocócica como causa da morte. “Todos os procedimentos de proteção e profilaxia dos comunicantes foram realizados seguindo os protocolos do Ministério da Saúde”, diz a nota da prefeitura. Amostras de sangue da criança foram enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para confirmar o diagnóstico. O laudo emitido nesta terça-feira, porém, descartou todos os tipos de meningite.

O ex-ministro da Saúde da gestão petista, Alexandre Padilha, chegou a comentar o caso no Twitter, cobrando uma posição do hospital sobre a divulgação da causa da morte da criança. “Apenas dois objetivos nos movem em relação a tais cobranças. O primeiro conseguimos: que a autoridade sanitária viesse a público esclarecer à população que não se tratava de um caso de doença meningóccica para a qual havia corrida por vacina”, publicou. A segunda cobrança do ex-ministro é de que o Hospital Bartira esclareça “quais procedimentos de apuração já realizou para o vazamento de diagnóstico que se revelou antiético para com a família e irresponsável com a Saúde Pública da região”. Padilha disse ainda que solicitaria ao Conselho Regional de Medicina que apure se houve participação dos médicos no vazamento da notícia. Segundo a Revista Crusoé, a família de Arthur decidiu processar o hospital por divulgar a morte da criança sem a sua autorização. O EL PAÍS tentou contatar o Hospital Bartira, mas a assessoria de imprensa da unidade de saúde não atendeu as ligações.

O ex-presidente foi autorizado pela Justiça Federal a ir ao velório do neto no sábado de Carnaval. Seis policiais armados com fuzis acompanharam o ex-presidente em todo momento. Lula ficou ao lado da família por cerca de duas horas, durante as quais pode consolar o filho Sandro, pai de Arthur, e a nora Marlene. Foi a segunda vez que Lula saiu da prisão na Superintendência da PF, em Curitiba, desde que foi preso em 7 de abril de 2018 —em novembro, ele saiu para ser interrogado na Lava Jato—. Há um mês, os advogados do ex-presidente solicitaram à Justiça autorização para que ele participasse do enterro de seu irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá, de 79 anos, no dia 30 de janeiro, mas o pedido foi negado. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Antonio Dias Toffoli, acatou um recurso da defesa e autorizou o petista a encontrar os familiares, mas a decisão foi liberada no exato momento em que acontecia o enterro.

Temer vira réu pela quarta vez

A 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo aceitou a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) contra o ex-presidente Michel Temer nesta quinta-feira (04). João Baptista Lima Filho, conhecido como coronel Lima, Maria Rita Fratezi e a filha Maristela de Toledo Temer Lulia também se tornaram réu no processo. Os acusados têm dez dias para responder à acusação. A decisão foi assinada pelo juiz Diego Paes Moreira.

Ex-presidente virou réu junto com a filha em processo que tramita em SP

A denúncia contra Temer foi feita pelo MPF na terça-feira (02). Segundo o texto, os réus teriam “ocultado e dissimulado” a origem de R$ 1,6 milhão utilizadas na reforma de um imóvel no Alto de Pinheiros, em São Paulo (SP). A denúncia afirma que o local pertencia a Maristela Temer. É a quarta acatada pela Justiça – outras duas são referentes a desvios da obra de Angra 3 e uma no caso da mala da JBS.

 

Presidente se reúne com líderes de partidos

Após realizar reuniões  com presidentes e líderes de partidos políticos, nesta quinta-feira (4), o presidente Jair Bolsonaro postou no Twitter que “tudo ocorreu em alto nível” e “nada se falou sobre cargos”. Para ele, as primeiras conversas demonstram que Executivo e Legislativo estão unidos pela reforma da Previdência.

“Ao contrário do que propalado por alguns, nada se falou sobre cargos. Executivo e Legislativo unidos, por uma causa que representa o futuro de nossos filhos e netos: a Nova Previdência”, postou Bolsonaro. Alguns líderes que se reuniram com o presidente comentaram o encontro, como Geraldo Alckmin e Marcos Pereira.

 

 

Ministro Paulo Guedes participa de audiência na CCJ

Guedes fala sobre a Reforma da Previdência, em reunião da Comissão de Constituição e Justiça

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), da Câmara dos Deputados, realizada nesta quarta-feira (3), que o governo, no ano passado, gastou dez vezes mais com a Previdência Social do que com a Educação.

“Foram gastos R$ 700 bilhões com a Previdência, no ano passado, e R$ 70 bilhões com Educação. Gastamos dez vezes mais com a Previdência do que com nosso futuro”, disse. Guedes comentou que o seu papel na gestão Bolsonaro é relativamente simples. “Não cabe a mim, sinceramente, entrar em debate político. É entregar o texto (da reforma da Previdência)”.

WhatsApp cria recurso para decidir grupos

O WhatsApp anunciou nesta quarta-feira (3) um recurso que dará mais controle aos usuários sobre quais grupos deseja fazer parte.  Com um ajuste nas configurações, agora é possível escolher quem pode adicionar o seu número em uma nova conversa.

Para ativá-lo, abra as Configurações do app, e então toque em Conta, Privacidade, Grupos e selecione uma das três opções: “Ninguém”, “Meus contatos”, ou “Todos”.
“Ninguém” significa que você terá que aprovar a entrada em cada grupo para o qual foi convidado.  O convite ficará disponível por até três dias, após esse prazo expira. “Meus contatos” significa que somente usuários da lista de contatos poderão adicionar o número a um grupo.

São Paulo x Botafogo abrem o Brasileirão

A partida entre São Paulo x Botafogo vai abrir o Campeonato Brasileiro de 2019 no dia 27 de abril, um sábado. O jogo está marcado para às 16h e vai ocorrer no estádio do Morumbi, em São Paulo. A competição, disputada entre 20 clubes no sistema de pontos corridos, vai até 8 de dezembro.

Ainda no sábado, o Atlético-MG pega o Avaí, que volta à elite nacional, a Chapecoense encara o Internacional e o Flamengo faz clássico contra o Cruzeiro.
No domingo, o Brasileirão terá mais seis partidas. O Palmeiras, atual campeão, recebe o Fortaleza, vencedor da Série B do Brasileirão em 2018. O Grêmio enfrenta o Santos em Porto Alegre. Já o Bahia pega o Corinthians na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Onyx defende reunião com partidos

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), afirmou que a série de encontros entre o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e os o dirigentes dos principais partidos políticos é o primeiro passo para abrir o governo às outras legendas. Oficialmente, só o PSL faz apoio formal ao governo, o que não se traduz necessariamente em cargos.

Para o ministro, primeiro é necessário o diálogo para depois convidar e “abrir as portas”. “Para que tenhamos uma base constituída, a gente precisa dialogar, convidar e abrir as portas”, afirmou o ministro nesta quarta-feira (3). Bolsonaro recebe os presidentes das siglas para tratar da aprovação da reforma da Previdência na Câmara e no Senado. O presidente do PSDB e ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin é um dos que vão participar da reunião com Bolsonaro na quinta-feira (4).

Keanu Reeves negocia produção em SP

O ator americano Keanu Reeves está de passagem por São Paulo em negociações para filmar uma nova produção pela cidade. O ‘Sr Matrix’ chegou à capital paulista na tarde de terça-feira (2). O intérprete de John Wick tirou fotos com fãs surpresos no aeroporto e seguiu para o seu hotel, onde fez um lanche rápido e acenou para fãs que gritavam por seu nome na rua.

Reeves está acompanhado de uma equipe técnica e se encontrou com secretário de cultura Alê Youssef e a Presidente da SP Cine, Laís Bodansky. O ator já conversou com o prefeito Bruno Covas e com o governador João Doria. É comum que produtoras internacionais busquem cidades que oferecem impostos reduzidos para o financiamento da obra, reduzindo custos.



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia