WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

secom bahia

secom bahia

embasa



(74) 99106-4031

junho 2022
D S T Q Q S S
« maio    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  


Requião se filia ao PT para disputar o governo do Paraná

Roberto Requião com Lula (Foto: Ricardo Stuckert)

Evento deverá contar com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

247 – O ex-senador Roberto Requião, pré-candidato ao governo do Paraná, vai se filiar ao PT no próximo dia 18 de março, uma sexta-feira, em evento que deverá contar com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba, de acordo com informações do Blog do Esmael.

O próprio Requião informou da vinda de Lula para a capital paranaense.

“Muito provavelmente Lula estará em Curitiba no dia 18 deste mês”, avisou Requião.

O blog ainda informa que Requião intensificou agendas com movimentos populares e partidos de esquerda. Nesta quarta (9), por exemplo, ele divulgou uma carta de compromissos com os trabalhadores.

No roteiro de viagens a partir deste mês, sempre ao lado do PT, Requião visitará ao menos dez regiões do estado até abril.

Lula quer lançar candidatura em abril, em evento com Haddad, Alckmin e Boulos

PT ainda tem a expectativa de que Guilherme Boulos, do Psol, retire sua candidatura ao governo paulista

247 – “O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva definiu que lançará a sua pré-candidatura à Presidência da República no começo de abril, após o fim da janela partidária. A ideia é fazer um grande ato em São Paulo que reúna do ex-governador Geraldo Alckmin, que sacramentou sua ida ao PSB e será indicado vice da chapa, a integrantes do PSOL”, informa o jornalista Sérgio Roxo, em reportagem publicada no Globo.

“Alguns petistas alimentam a expectativa de que até lá o líder sem-teto Guilherme Boulos aceite retirar a sua pré-candidatura ao governo de São Paulo. Se isso acontecer, o evento servirá também para lançar o ex-prefeito Fernando Haddad ao governo paulista”, acrescenta Roxo.

O que falta ainda definir é o partido ao qual Geraldo Alckmin se filiará para ser vice de Lula. A princípio, ele ficaria no PSB, mas o partido se recusou a participar da federação com PT, PCdoB e PV.

 

247

 

Putin não recusaria encontro com Zelensky, diz chanceler russo

Segundo Sergei Lavrov, o presidente russo, Vladimir Putin, participaria de uma reunião com seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, para discutir questões “específicas”

247 com Reuters – O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta quinta-feira que o presidente russo, Vladimir Putin, não recusaria uma reunião com seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, para discutir questões “específicas

Lavrov fez os comentários em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (10) após conversas com seu homólogo ucraniano, Dmytro Kuleba, na Turquia.

De acordo com a diplomacia turca, que intermediou a reunião, o objetivo das negociações era combinar um cessar-fogo no conflito que acontece no território ucraniano. Kuleba informou que não houve consenso sobre este ponto.

“Mencionamos um cessar-fogo, mas não houve avanços nesse sentido”, disse ele à imprensa após o encontro, acrescentando que decidiu, com Lavrov, “continuar as negociações neste formato”.

Lula defende Alckmin e diz que não coloca divergência “como paradigma para fazer política”

“Ora, se eu tive divergência com o Alckmin porque ele foi candidato contra mim, eu tinha divergência com meu irmão Frei Chico quando a gente jogava bola”, ironizou o ex-presidente

247 – O ex-presidente Lula (PT), em entrevista à Rádio Itatiaia, de Minas Gerais, falou sobre a praticamente selada aliança com o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido), que deve ser candidato a vice-presidente na chapa do petista pelo Palácio do Planalto neste ano.

Questionado sobre “incoerência” em escolher Alckmin para vice, com quem teve divergências ao longo dos últimos anos, Lula afirmou que discordâncias são naturais e que não podem impedir novos diálogos. “Se você não votou em mim na eleição que eu concorri e quiser votar agora, você acha que eu vou recusar porque você não votou em mim [no passado]? Ora, se eu tive uma divergência com o Alckmin porque ele foi candidato contra mim, eu tinha divergência com meu irmão Frei Chico quando a gente jogava bola, porque ele jogava em um time e eu jogava no outro. Se eu for colocar a divergência política-eleitoral em algum momento como paradigma para fazer política, é melhor eu não ser político”.

“Temos que saber qual é o momento em que estamos disputando, o que está em causa, o que você pode construir, o significado das alianças políticas que você faz. Não é o fato de eu ter sido oposição ao Fernando Henrique Cardoso que eu vou deixar de conversar com ele ou com o Serra. Eu tenho amizades históricas com essa gente. Se em algum momento nós estivemos em lados opostos, a gente pode estar no mesmo lado em determinadas circustâncias”, completou.

247

Dilma faz apelo por maior participação feminina na política: “só as mulheres podem assegurar conquistas para si mesmas”

Ex-presidenta Dilma Rousseff (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

No Dia Internacional da Mulher, a ex-presidente defendeu que as mulheres ‘tenham representação política’ e ‘busquem o poder’

247 – No Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta terça-feira (8), a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) participou de uma live promovida pelo Instituto Lula e fez um apelo por mais participação feminina na política.

Segundo ela, ainda que homens possam ser aliados do movimento feminista, “só as mulheres podem assegurar conquistas para si mesmas”. Ela afirmou que a maior ocupação de mulheres no campo político é o segundo passo do que foi a conquista do voto feminino, em 1932.

A ex-presidente destacou que a exclusão das mulheres acontece em todos os espaços, mas se torna mais grave na política, que é o instrumento de mudança da sociedade. “Quando a mulher sai do espaço privado, que é o espaço que o patriarcalismo destinou a ela, e vai para o espaço público, ela tem que estar subordinada, tem de estar qualitativamente mais destituída. Não lhe dão os melhores trabalhos e nem tem acesso aos melhores trabalhos. Quando se trata da política isso é mais grave ainda, porque a política mexe com todos os nós de uma sociedade. Vai mexer com os processos de transformação que estão sendo garantidos por uma estrutura de poder, e é aí que vem a misoginia, vem o ataque sistemático às mulheres que ousam contrariar as normas”.

“Elas são tachadas de burras, de vagabundas, desonestas, muito duras ou histéricas. E a misoginia não recai sobre todas as mulheres, é fundamentalmente uma forma pela qual se reprime, se impede que as mulheres ampliem sua participação. Só as mulheres podem assegurar para si mesmas conquistas. Óbvios que homens podem nos ajudar, mas o protagonismo é da nossa luta. Ela [mulher] tem de ter representação política, buscar o poder. Essa é a parte mais delicada dessa luta. Em todos os lugares em que isso se ampliou, em que a paridade foi adotada, a luta feminista teve um papel fundamental. Sem as mulheres não tem jeito”, declarou.

247

Alckmin diz que deve levar cerca de dez aliados para o PSB

Foto: Divulgação

Na reunião em que sacramentou sua filiação ao PSB para ser vice de Lula (PT), o ex-governador Geraldo Alckmin disse que pretende levar consigo para o novo partido até dez aliados, não apenas de São Paulo. A maioria disputaria mandatos de deputado federal.
Na conversa com os caciques socialistas, o ex-tucano quis saber a situação detalhada do PSB em todos os estados e expressou preocupação com os locais onde os palanques ainda estão indefinidos. O receio era de que isso pudesse de alguma forma atrapalhar a aliança nacional com o PT.
Os dirigentes garantiram a Alckmin que os problemas pontuais pelo Brasil não ameaçam a decisão nacional de apoiar Lula, nem a sua própria entrada no partido. “Hoje, a filiação de Alckmin é uma unanimidade no partido”, diz o presidente estadual do PSB de São Paulo, Jonas Donizetti, um dos que participaram do encontro com Alckmin na manhã desta segunda (7).
O prefeito do Recife, João Campos, afirmou que Alckmin demonstrou bastante animação com o projeto durante a reunião. “Foi dito a ele que sua filiação é importante para o partido não só em São Paulo, mas no país inteiro”.
A definição da data da filiação depende das últimas conversas que o ex-governador de São Paulo pretende ter com aliados, mas deve acontecer até o final do mês. Segundo relatou Campos, Alckmin disse estar recebendo ligações de políticos de todas as regiões interessados em acompanhá-lo.

Fonte: Bahia Notícias

Congresso do PSB Bahia discute ‘autorreforma’ do partido

Foto: Divulgação

A Autorreforma como processo de crescimento e construção do Novo Programa de Partido, com a retomada da ideia de projeto nacional de desenvolvimento, foi o ponto principal de discussão do Congresso Estadual do PSB Bahia, realizado neste sábado (5), na sede da União dos Municípios da Bahia (UPB), em Salvador.

O evento contou com a presença da presidente estadual, deputada federal Lídice da Mata, do integrante da Executiva Nacional, Domingos Leonelli, de dirigentes da legenda, deputados, prefeitos, vice-prefeitos, integrantes e militância socialista de diversos municípios baianos. A mediação foi feita pelo secretário geral de Salvador, Fábio Lima.

O ato teve como objetivo eleger o diretório estadual dos Conselhos de Ética e Disciplina Partidária e Fiscal, bem como a escolha dos delegados do PSB baiano para o Congresso Nacional da legenda, que será realizado em Brasília, no final de abril.

A deputada federal Lídice da Mata iniciou os trabalhos, em ato realizado no formato híbrido, presencial, e virtual com transmissão via Facebook do PSB Bahia, e passou a palavra para Domingos Leonelli, que contextualizou o processo histórico de produção industrial e do capitalismo na história política do Brasil, até a construção das cinco teses da Autorreforma do PSB, como processo de autocrítica e de “revolução na retomada do projeto nacional de desenvolvimento, juntamente com a Economia Criativa”.

A deputada federal Lidice da mata comentou sobre o cenário político atual e informou que a chapa ainda não foi constituída, pois não tem a definição de candidato. O que se confirma, até o momento, com a saída de Jaques Wagner, é a proposta de substituição com Otto Alencar e o governador Rui Costa entra para o Senado. O partido segue com o apoio nacional ao presidente Lula.

 

Fonte: Bahia Notícias

Fernando Haddad articula tratativas para tentar reaproximar Lula e Marina

Foto: Reprodução / O Globo

O candidato à presidência pelo PT em 2018 e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, tem articulado uma reaproximação da ex-senadora Marina Silva (Rede) com Lula (PT). Segundo a coluna de Lauro Jardim em O Globo, o diálogo é de interesse do ex-presidente, mas a ambientalista ainda estaria refutando a ideia.

Ex-aliados, os dois romperam em 2009, após Marina entregar o cargo de ministra do Meio Ambiente, deixar o Partido dos Trabalhadores – onde militou por 30 anos – e migrar para o Partido Verde.

Em públicas recentes, ela afirmou que avalia se candidatar a uma cadeira na Câmara dos Deputados pelo estado de São Paulo. O diretório paulista da Rede e integrantes de movimentos sociais estariam apoiando seu nome na disputa eleitoral.

A candidatura de Marina Silva é vista por membros da legenda como uma estratégia para que quebrem a cláusula de barreira e eleger uma bancada maior de parlamentares federais.

Na sexta-feira passada, em entrevista à Folha, Marina admitiu que seu partido também negocia uma federação com o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), devido aos pontos de pauta em comum.

Embora o senador Randolfe (Rede) já tenha declarado seu apoio ao ex-presidente Lula, a senadora evitou falar sobre sua preferência, arguementando que quadros da agremiação se dividem entre Ciro Gomes (PDT) e o petista. O grupo de Marina estaria mais próximo do pedetista.

Randolfe participará da coordenação da campanha de Lula. “É uma posição pessoal [de Randolfe], que não foi debatida dentro do partido”, afirmou a ex-senadora.

Fonte: Bahia Notícias

Netflix suspende seus serviços na Rússia

Vice-presidente financeiro da Netflix deixa empresa

“Dadas as circunstâncias, decidimos suspender nosso serviço na Rússia”, disse um porta-voz

NOVA YORK, TASS – A Netflix, uma empresa americana de serviços e produção de streaming por assinatura, suspendeu seu serviço na Rússia devido aos desenvolvimentos na Ucrânia, disse a revista Variety no domingo, citando um representante da empresa.

“Dadas as circunstâncias, decidimos suspender nosso serviço na Rússia”, disse um porta-voz da Netflix.

247

Governo confirma indicação de Landim, presidente do Flamengo, para o comando do conselho da Petrobrás

Presidente do Flamengo, Rodolfo Landim (Foto: Divulgação)

Fato relevante foi enviado à Comissão de Valores Mobiliários

Agência Brasil – O governo indicou o nome de Rodolfo Landim, atual presidente do Flamengo, para presidir o Conselho de Administração da Petrobras. O anúncio foi feito neste sábado (5) à noite, por meio de fato relevante enviado pela estatal à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

“A Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que recebeu ofício do Ministério de Minas e Energia com oito indicações para o Conselho de Administração e quatro indicações para o Conselho Fiscal da Companhia, e ofício da Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Economia com duas indicações para o Conselho Fiscal da Companhia, para deliberação na Assembleia Geral Ordinária de 13 de abril de 2022”, informou a estatal.

O nome de Landim vem logo no topo da lista, com os demais nomes indicados. Em seguida, é publicado um currículo de cada candidato: “O Sr. Luiz Rodolfo Landim Machado é graduado em engenharia civil com especialização em obras hidráulicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979), com pós-graduação em engenharia de petróleo pela Petrobras (1980) e pela Universidade de Alberta (1985) e em administração de negócios pela Universidade de Harvard (1994)”.

Landim ingressou na Petrobras em 1980, onde trabalhou por 26 anos e ocupou diversas funções gerenciais na área de Exploração & Produção, incluindo superintendente de Produção da Região de Produção do Nordeste, superintendente do Distrito de Produção da Área Norte, gerente geral de Exploração e Produção da Bacia de Campos e gerente executivo de Exploração e Produção das regiões Sul e Sudeste.

Entre 2000 e 2003, foi presidente da Gaspetro, responsável pelas participações societárias da Petrobras nas companhias de transporte e distribuição de gás natural. Entre 2003 e 2006 foi presidente da Petrobras Distribuidora S.A. – BR.

Após sair da Petrobras, atuou como diretor geral da MMX Mineração e Metálicos S.A. (2006 a 2008), fundador e posteriormente CEO da OGX Petróleo e Gás Participações S.A. (2008 a 2009) e CEO da OSX Brasil S.A. (2009-2010).

247



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia