WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

bahia gas

secom bahia

secom bahia

embasa


(74) 99106-4031

fevereiro 2024
D S T Q Q S S
« dez    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829  


:: ‘Política’

Aliado de Renan e Lula vence eleição indireta e será novo governador de Alagoas

O deputado estadual Paulo Dantas (MDB) venceu a eleição indireta para o Governo de Alagoas e comandará o estado até o fim deste ano. Ele será empossado no cargo pela Assembleia Legislativa ainda na tarde deste domingo (15).

Dantas é aliado do senador Renan Calheiros e do ex-governador Renan Filho, ambos do MDB, e será o candidato ao Governo de Alagoas em outubro, quando tentará a reeleição.
Ele já anunciou que apoiará o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa pela Presidência e terá o PT em sua aliança no estado.
A eleição indireta aconteceu neste domingo (15) após uma batalha judicial protagonizada por aliados do senador Renan Calheiros e do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP).
A escolha de um novo governador pelos deputados estaduais acontece devido à dupla vacância no Executivo estadual.
Em abril, o então governador Renan Filho renunciou para ser candidato ao Senado. O vice-governador eleito em 2018, Luciano Barbosa (MDB), já havia renunciado ao cargo após ter sido eleito em 2020 prefeito de Arapiraca, segunda maior cidade do estado.
Sem governador e sem vice, coube aos deputados estaduais escolherem um governador-tampão. Nos últimos 45 dias, o estado foi governado de forma interina pelo presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Klever Loureiro.

Ele assumiu o governo após presidente da Assembleia, Marcelo Victor (MDB), decidir não assumir o governo interino para não ficar inelegível para a disputa por uma cadeira no Legislativo nas eleições de outubro.
A eleição indireta deveria ter acontecido no dia 2 de maio, mas foi suspensa na véspera pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux.
O ministro atendeu a um pedido do PSB, partido comandado em Alagoas pelo prefeito de Maceió, João Henrique Caldas, opositor dos Calheiros. O PSB havia questionado o fato de a votação para governador e vice-governador estar prevista para acontecer de forma separada, uma para cada cargo.
Além disso, a votação seria aberta entre os deputados, segundo o edital da Assembleia. Para o partido, a regra violaria a confidencialidade do voto e é incompatível com a Constituição Federal.
Na última segunda-feira (9), o ministro do STF Gilmar Mendes decidiu que a eleição indireta para o Governo de Alagoas deveria ocorrer para governador e vice em chapas únicas e vetou que pessoas não filiadas a partidos se candidatem.
Por outro lado, Mendes não acatou o pedido da oposição de votação secreta e autorizou que a votação seja nominal e aberta entre os deputados. Ele alegou que “a previsão da votação aberta pelo diploma alagoano não contraria a Constituição Federal”.

Ao todo, sete chapas participaram da eleição indiretas: Paulo Dantas, que representou o grupo governista teve 21 votos e o deputado estadual. Davi Maia (União Brasil), Cabo Bebeto (PL), Danúbia Barbosa (Avante) tiveram um voto cada. Os demais candidatos não receberam nenhum voto.
O deputado Antônio Albuquerque (Republicanos), que deve concorrer ao governo em outubro, votou em branco. Os deputados Davi Davino Filho (PP) e Olavo Calheiros (MDB) não participaram da sessão.
Paulo Dantas, 43, é natural de Maceió, formado em administração e já foi prefeito de Batalha, cidade do sertão de Alagoas, entre 2005 e 2012. Há quatro anos, foi eleito deputado estadual com 38.397 votos.
O deputado é filho de Luiz Dantas, que foi secretário de Estado de Alagoas, deputado federal e estadual e presidente da Assembleia alagoana.
Em discurso na sessão de escolha do novo governador, Dantas criticou a batalha judicial em torno da eleição, criticou ” ataques covardes e maquiados de nova política” e elogiou o ex-governador Renan Filho, seu padrinho político.
“Vamos trabalhar, trabalhar como fez o governador Renan Filho nos últimos 7 anos e 3 meses, trabalhar como nós deputados trabalhamos para fazer acontecer cada avanço conquistado”, afirmou.

O médico José Wanderley Neto será o novo vice-governador do estado. Ele já havia sido vice-governador de Alagoas entre 2007 e 2010, na gestão de Teotônio Vilela Filho (PSDB).
Nas eleições de outubro, Paulo Dantas concorrerá ao governo de Alagoas tendo o ex-governador Renan Filho como candidato ao Senado. A expectativa é que outro nome seja escolhido como candidato a vice – o favorito é o ex-secretário de Educação Rafael Brito (MDB).
Também vão concorrer ao governo em outubro o senador Rodrigo Cunha (União Brasil), o ex-prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSD), o deputado estadual Antônio Albuquerque (Republicanos) e o professor Cícero Albuquerque (PSOL).

Sérgio Moro diz que pode ‘não concorrer a nada’ nas próximas eleições

Foto: Reprodução / CNN Brasil

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro declarou, nesta quarta-feira (20), que pode “não concorrer a nada” nas Eleições 2022. Ele cotado para ser pré-candidato a presidência da República pelo Podemos. Nas últimas semanas ele deixou o partido e se filiou ao União Brasil.  

A fala do ex-juiz ocorreu durante uma entrevista à CNN Brasil. “Me coloquei numa situação de desprendimento para a união nacional, para vencer extremos. Não está descartada nenhuma situação, posso inclusive não concorrer a nada. Não vivo da política, estava fora do Brasil e voltei para ajudar na construção de algo que possa vencer extremos políticos”, disse.

Ainda durante a entrevista Moro explicou que a retirada de seu nome da pré-candidatura, ocasionada após sua saída do Podemos, além da definição de Luciano Bivar como nome do partido para disputar o Planalto, se deu após avaliação de que “somente com capital político” a eleição não estaria resolvida.

“O União Brasil definiu o Luciano Bivar como pré-candidato à Presidência e a partir daí tenta construir esse centro, para que ele possa chegar junto com forças, com estrutura partidária, tempo de TV, recursos financeiros”, continuou. “Eu vim para ajudar a construir esse centro. Qual vai ser o meu papel, isso é algo que está em definição”.

“Eu somente com meu capital político não daria certo, daí a necessidade de fazer um movimento. Todo mundo cobrava dos candidatos da terceira via esse desprendimento. Ninguém recuava e fazia nada, e essa situação permanece. A gente tem que construir algo diferente”, opinou.

Lula ganha apoiadores entre os evangélicos, aponta pesquisa XP/Ipespe

O ex-presidente diminuiu a liderança de Bolsonaro neste segmento. A diferença caiu de 16 para sete pontos percentuais

247 – A pesquisa XP/Ipespe apontou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ganhou mais apoiadores evangélicos e diminuiu a diferença para Jair Bolsonaro (PL): caiu de 43% a 27% para 40% a 33%. Ou seja, de 16 para sete pontos percentuais.

As estatísticas foram publicadas pela coluna de Maquiavel, de Veja.

O levantamento mostrou que, no estado de São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil, o petista lidera com 34% dos votos. Bolsonaro ficou em segundo lugar, com 30%.

247

Marcia Tiburi reage a ataque de Ciro Gomes e diz que ele “afunda no narcisismo primário”

Marcia Tiburi (Foto: Kamilla Ferreira/Agência PT)

Professora e filósofa disse ainda que pedetista “está prestes a ser deixado pra trás na poeira da estrada da história”

247 – A professora e filósofa Marcia Tiburi reagiu a uma fala do pedetista Ciro Gomes, em que ele a usou como escada para abraçar um discurso de extrema direita e atacar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva após uma fala sobre a questão do aborto. “Acabo de ver um vídeo em que Ciro Gomes me cita. Como não é a primeira vez que ele fala pronuncia meu nome, é justo responder. Eu nunca falo de Ciro, porque realmente fico triste em ver o político que ele vem se tornando. Ciro é evidentemente uma pessoa que sabe muito sobre o  Brasil. Diferentemente da grande maioria dos políticos brasileiros, em geral, ele sabe se expressar na forma e no conteúdo. Eu o vi falar ao vivo duas vezes. Numa delas, tomei a liberdade de dizer que ele tinha muito futuro, caso conseguisse deixar de lado sua postura de coronel. Ele não seguiu o meu conselho. E segue afundando no narcisismo primário que destrói carreiras políticas. O narcisismo masculinista é um assunto grave na política brasileira. Ciro poderia meditar nesse tema e parar de me usar para produzir falsas polêmicas”, escreveu Marcia.

“Ciro me cita no vídeo a propósito de um recorte com a expressão ‘lógica do assalto’, tirada de uma entrevista de 2015 e usada pelo MBL e assemelhados em 2018, muito antes de eu ser candidata. Basicamente eu falava do capitalismo como um grande e sistemático roubo. Esse vídeo ainda circula porque eu fui transformada em ‘token’ da extrema-direita, ou seja, sou usada para causar polêmica e ataques à esquerda como um todo. O que políticos de extrema-direita fazem com minha imagem daquela época é desinformação, Ciro segue o mesmo caminho. O segundo tema, o “cu”, está ainda mais mal citado na fala de Ciro Gomes. Nunca falei de cu, de anus ou de tema semelhante em campanha. O recorte é de um vídeo de 2017 em um debate sobre literatura. Jamais imaginaria que uma fala tão ingênua pudesse se tornar tão apelativa.O que prova que o terror anal é um fato. Não é só o Ciro (que já falou disso publicamente outra vez, me usando), mas muitos outros senhores não analisados (digo sem ironia) que recorrem a essa fala descontextualizada para causar frisson ao redor. Ora, o patriarcado é mal resolvido. Aprendi com homens sábios do nordeste que um coronel é um menino mimado. Temos um na presidência causando estragos atrozes na nação. Outros, para o bem ou para o mal, não chegarão lá, mostrando que ego é importante na política, mas não basta. Canalhice também, mas nem sempre resolve. Não há fórmula. Certamente os desesperados pelo cargo, sejam bons, sejam ruins, não chegarão lá. E o mais triste é ver que até uma figura tacanha como Bolsonaro chegou. Ora, um ego que se mede pelo cargo de presidente nada significa. De modo que posso dizer apenas: prezado filho do ego, tire seu ego do caminho, que eu quero passar com as minhas companheiras feministas para inaugurar uma outra política. Você é como o capitalismo em estado de desespero, está prestes a ser deixado pra trás na poeira da estrada da história”, acrescentou ainda a professora. Confira seus tweets:

“Que Bolsonaro tentará um golpe é certo como dois e dois são quatro”, diz Fernando Horta

Historiador também afirma que o Brasil não ficará livre do fascismo sem algum grau de violência

247 – O historiador Fernando Horta avaliou, em seu programa semanal com Gustavo Conde, que Jair Bolsonaro tentará um golpe de estado para não deixar o poder no Brasil. “É certo como dois e dois são quatro”, afirmou. Na sua avaliação, o fascismo funciona desta maneira, corrompendo a ordem institucional, e ele se encontra amparado pelas Forças Armadas, que não irão querer “largar o osso”.

Horta também disse que o Brasil não se libertará do fascismo sem algum grau de violência. “Foi assim na Alemanha, na Itália e será assim também no Brasil”, diz ele. Horta afirma que os poderes institucionais empurraram o Brasil para esta situação trágica porque as instituições deixaram de funcionar no Brasil há pelo menos seis anos, a partir do golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff. “A vida de uma pessoa passou a valer menos que a ameaça de um fascista”, afirma.

 

247

 

Ciro Nogueira, ministro de Bolsonaro, cometeu crime de corrupção, diz PF

Foto: Reprodução / Flickr Palácio do Planalto

A Polícia Federal afirmou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por ter recebido propina da JBS.

De acordo com a PF, a empresa frigorífica teria feito os pagamentos para que o PP apoiasse a reeleição da então presidente Dilma Rousseff em 2014.
Agora, cabe à PGR (Procuradoria-Geral da República) decidir se apresenta denúncia contra o ministro, se pede o arquivamento do caso ou se solicita a realização de mais medidas para aprofundar as investigações.
Ciro Nogueira é o ministro da principal pasta do governo de Jair Bolsonaro (PL) e foi um dos principais articuladores da entrada dos partidos do centrão na gestão federal. Ex-aliado do PT, ele tornou-se um defensor do chefe do Executivo e já garantiu o apoio do PP a ele nas eleições deste ano.
Segundo a PF, parte do repasse da JBS a Nogueira foi feito por meio de doação eleitoral oficial e outra parte foi repassada em dinheiro vivo por intermédio do supermercado do irmão do ministro.
No relatório, a corporação diz que os fatos apontam que Nogueira e os executivos da JBS não mantinham “relação republicanas entre um dirigente de um partido político – que deseja apoio financeiro para sua legenda – e um importante empresário”.

Fonte: Bahia Notícias

Aliado de ACM Neto, Doria se nega a fazer críticas a Rui Costa: ‘Não quero ser desleal’

Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Mesmo sendo aliado de ACM Neto (UB), pré-candidato que visa derrubar a hegemonia do PT na Bahia em outubro, o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se recusou, em entrevista ao Bahia Notícias nesta sexta-feira (8), a fazer críticas ao governo de Rui Costa (PT) no estado.

“Eu não me sinto confortável fazendo isso. Sou antagonista do PT, todos sabem disso, mas eu fui colega desses governadores durante três anos e três meses e, agora, no processo eleitoral, eu não quero ser desrespeitoso e desleal fazendo críticas que eu não fiz durante três anos e três meses”, declarou Doria.

“Seria uma forma injusta e incorreta, ainda que eu possa perceber equívocos, erros e omissões. Mas, nesse caso, não cabe a mim fazer as críticas”, continuou o ex-governador de São Paulo.

Em um encontro ocorrido na noite desta quinta (7), ACM Neto fez uma homenagem a Doria (veja aqui) e o prefeito de Salvador, Bruno Reis (UB), definiu o ex-governador paulista como um “amigo” da capital (veja aqui).

 

Bahia Notícias

“Vagabundo é quem fica passeando de moto e jet ski enquanto o povo está na fila do osso”, diz Boulos

Guilherme Boulos (Foto: Reprodução)

Com discurso crítico a Jair Bolsonaro, o pré-candidato a deputado federal cobrou do ex-presidente Lula um novo programa habitacional para seu eventual terceiro governo

247 – Pré-candidato a deputado federal por São Paulo, Guilherme Boulos esteve nesta sexta-feira (25) em um condomínio construído pelo MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) acompanhado do ex-presidente Lula (PT) e do ex-ministro e pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT, Fernando Haddad.

Boulos rebateu ataques feitos por bolsonaristas aos movimentos por moradia. “Temos que dizer em alto e bom som que quem luta por casa, por moradia, não é vagabundo não. Vagabundo é quem ficou 27 anos no Congresso e não fez nada, só rachadinha e esquema de gabinete. Vagabundo é quem fica passeando de moto e jet ski enquanto o povo brasileiro está na fila do osso. Movimento social tem dignidade”, disse ele em referência a Jair Bolsonaro (PL).

O pré-candidato à Câmara cobrou que o ex-presidente Lula tenha um novo programa habitacional em seu eventual terceiro governo. “Essas pessoas têm a esperança, como nós do movimento social temos, que a partir de 1 de janeiro do ano que vem, você chegando lá [na Presidência], que a gente reconstrua um programa habitacional para esse país, junto com o povo, com o movimento social. Nós temos que desapropriar imóveis abandonados nas regiões centrais para botar pobre morar no centro sim senhor, porque tem direito de morar perto de onde trabalha, onde tem infraestrutura, onde tem serviço público”.

Fonte: 247

‘Boto minha cara no fogo pelo Milton, estão fazendo uma covardia com ele’, diz Bolsonaro

Foto: Reprodução / Youtube

O presidente Jair Bolsonaro (PL) saiu em defesa do ministro da educação, Milton Ribeiro, acusado de realizar reuniões com interlocutores para disponibilizar verbas federais a prefeitos. Bolsonaro participou de live, nas redes sociais, nesta quinta-feira (24), ao lado da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

“Cabe a meus respectivos ministros liberarem as emendas. É tudo documentado, da CGU. Receberam duas denúncias sobre possíveis irregularidades. A CGU, por 6 meses, investigou o caso, e chegou a conclusão que não tinha nenhum servidor público envolvido. Agora no  dia 3 de março, resolveu encaminhar essas peças à polícia federal, quase no dia da divulgação do caso. Porque não tem corrupção no meu governo? Pois agimos dessa maneira. Ninguém pode dizer que está desviando. Agora falam que tinham 19 agendas, se estivesse armando não teria agenda oficial. Se estiver armando vai pelado para uma piscina. Não coloca na agenda o corruptor”, disse Bolsonaro. 

O presidente reforçou a defesa ao ministro e comentou que colocaria a “cara no fogo” por Milton. “Estão fazendo uma covardia com ele. Já abri o procedimento para investigar também, está na esteira do que a CGU já fez. Tem gente que quer colocar alguém lá. Ele quer que eu coloque lá a responsabilidade minha, se der problema a responsabilidade é minha ou se não continua fazendo coisa errada lá. É uma covardia com o ministro Milton. Algumas televisões sempre tem ranço com evangélicos e cristãos”, revelou.

Bolsonaro reforçou que Milton de fato recebeu os interlocutores para “não atrapalhar a investigação”. “Tem três prefeitos citados, com todas certezas a PGR, eles serão chamados. Eles vão ter que falar, pediram um quilo de ouro. Tem que falar. Só da boca para fora? Eles vão ser perguntados se pagaram” disse. 

“Temos assessoria jurídica. O Milton recebeu essa consultoria. Ele é um dos mais honrados. Tomou providência e tomou o que era cabível naquele caso. Ele fez a coisa certa”, completou Damares.

Fonte: Bahia Notícias

‘Alckmin vice com Lula ajudará a derrubar o inimigo da civilização brasileira, que é Bolsonaro”, diz Aloysio Nunes

Aloysio Nunes e Jair Bolsonaro (Foto: Pedro França/Agência Senado | Marcos Corrêa/PR)

“Alckmin tem condições de agregar e contribuir para que possamos criar uma frente muito ampla que vá da direita moderada até a esquerda para derrotar Bolsonaro”, afirmou o tucano

247 – O ex-senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) elogiou nesta quarta-feira (23), a filiação de Geraldo Alckmin ao PSB.

“Acho um fato muito positivo. A filiação de Alckmin ao PSB e a perspectiva de ele ser candidato a vice com Lula são uma grande contribuição para a formação de uma frente democrática que precisamos constituir para derrubar o inimigo principal da civilização brasileira, que é Jair Bolsonaro”, afirmou Nunes em entrevista à Carta Capital.

Segundo Aloysio Nunes, “Alckmin tem condições de agregar e contribuir para que possamos criar uma frente muito ampla que vá da direita moderada até a esquerda para derrotar Bolsonaro e o bolsonarismo e iniciar uma nova etapa na vida do País”.

Na cerimônia de filiação, Alckmin também falou em tom de conciliação e pacificação. “A política é a arte do bem comum, é a mais difícil das antiguidades humanas e exige coragem. Esse é o momento excepcional que o Brasil está vivendo. Há 49 anos, aos 20 anos de idade, fui candidato a vereador em Pindamonhangaba para redemocratizar o Brasil, tirar a ditadura. As ditaduras suprimem a liberdade. Em nome do pão, não dão o pão que prometeram e nem devolvem a liberdade que tomaram. Vivemos hoje um desses novos momentos graves da vida nacional, dois pesadelos que assombram o país: violência e miséria. O Brasil tem uma dívida social com nossa população, mas isso aumentou e piorou enormemente. Essa é a razão de estarmos aqui, no PSB, o partido da liderança, que tem história”, afirmou

247



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia