Sob fascismo, mídia legitimou a perda de soberania energética nacional para saciar acionistas com lucros exorbitantes

A mídia corporativa brasileira não “aprendeu” nada e mantém o vício entreguista do patrimônio dez anos após a criminosa Lava Jato – a operação articulada para sangrar, esquartejar e entregar a Petrobras.

O espírito selvagem dessa gente derrubou a única presidenta eleita pelo povo após anunciar lucro do pré-sal para financiar educação e saúde.

Levou à cadeia um inocente para liberar a venda indiscriminada da empresa operada pelos lacaios do capital Temer e Bolsonaro.

Sob fascismo, negacionismo e empobrecimento do país, essa mídia legitimou a perda de soberania energética nacional para saciar acionistas com lucros exorbitantes.

Agora, tem a petulância de cobrar pilhagem da petrolífera para satisfazer investidores e desmilinguir o investimento caro ao desenvolvimento do Brasil.

Não aprenderam – e nem vão! – porque são meros tarefeiros de uma elite desgraçada, avessa ao povo e entreguista até o último fiapo de alienação ideológica.

A Petrobras é dos brasileiros – e o futuro do Brasil não pode se chamar mercado.

Fonte: 247