“Eu vi a fala do Campos Neto que ‘taxa de juros é que nem antibiótico’. É uma boa imagem. Agora, a diferença entre o remédio e o veneno é a dose”, declarou

247 – O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, falou nesta segunda-feira (15), em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, sobre a taxa básica de juros do Brasil, atualmente em 13,75% ao ano.

Ele defendeu o direito do presidente Lula (PT) de divergir do Banco Central e questionar o patamar da Selic: “por que não se pode discutir a taxa de juros?”.

“Eu vi a fala do Roberto Campos Neto que ele falou ‘não, taxa de juros é que nem antibiótico, precisa concluir o tratamento’. Eu acho que é uma boa imagem o antibiótico, você tem um ciclo de tratamento. Agora, a diferença entre o remédio e o veneno é a dose”, afirmou.

Mercadante ainda lembrou que a discordância de Lula em relação ao patamar dos juros já estava evidente desde a campanha eleitoral, assim como sua posição sobre a privatização da Eletrobrás.

247