WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

secom bahia

secom bahia

embasa


(74) 99106-4031

janeiro 2022
D S T Q Q S S
« dez   fev »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


:: 23/jan/2022 . 21:12

Paulo Marinho prevê prisão da família Bolsonaro em 2023

(Foto: Roque Sá/Agência Senado | ABr)

Empresário, que chegou a coordenar a campanha de Bolsonaro, diz agora que seu “consolo” é que “a família presidencial vai para cadeia” no ano que vem

247 – O empresário Paulo Marinho prevê a prisão da família Bolsonaro em janeiro de 2023. Em postagem no Twitter, ele diz que seu “consolo” é que no início do ano que vem “a família presidencial vai para cadeia”.

Marinho, que foi coordenador da campanha de Jair Bolsonaro à presidência em 2018, mas depois virou opositor do político, resgatou também em postagem no Twitter um episódio envolvendo Gustavo Bebianno, trazido à tona pela revista Veja.

Confira abaixo as publicações:

“A elite odiava Brizola”, diz neto do líder político

“A elite jamais perdoou Brizola por dar vez e voz aos excluídos”, disse Leonel Brizola Neto à TV 247. Líder político teria completado 100 anos neste sábado, 22

247 – Neto do fundador do PDT, Leonel Brizola (1922-2004), o ex-vereador Leonel Brizola Neto falou longamente em entrevista ao programa Forças do Brasil, na TV 247, sobre as influências, feitos históricos e relações do avô, um dos maiores líderes políticos que o Brasil já teve, e que teria completado 100 anos neste sábado, 22 de janeiro, caso estivesse vivo.

Leonel Brizola Neto lembrou, na conversa com o jornalista Mario Vitor Santos neste sábado, que o avô “levou luz, água, escola de primeiro mundo, em tempo integral” aos mais pobres, “defendeu os marginalizados, os invisíveis, aqueles que ninguém quer ver” e que por isso “foi criminalizado claramente”, chegando inclusive a se alvo de um “boicote fortíssimo” da Rede Globo.

Quando ele faz o Ciep – Centros Integrados de Educação Pública -, “isso era inaceitável para a elite carioca”, prossegue o ex-vereador, que conviveu de perto com o avô, seja pessoalmente, desde criança, ou trabalhando, já na vida adulta. “A verdade é que todo o governo Brizola, seja no Rio Grande do Sul, seja no Rio de Janeiro, o orçamento era destinado aos mais necessitados. Então por isso a elite nunca perdoou Brizola”, disse.

PSOL está disposto a aceitar Alckmin vice se Lula fizer programa de esquerda

Foto: Divulgação / Ricardo Stuckert

Para a ala hoje dominante do PSOL, o programa de governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será o fator fundamental na definição de apoio ao ex-presidente, mais até do que a presença ou não do ex-governador Geraldo Alckmin na chapa como vice.?

O partido de esquerda não esconde seu descontentamento com a possibilidade de o ex-tucano fazer parte da aliança, posição já expressada por sua liderança de maior visibilidade eleitoral, o líder sem-teto Guilherme Boulos.
Lideranças da legenda, no entanto, afirmam que a presença de Alckmin não significará automaticamente a recusa do PSOL em aliar-se a Lula. Mais importante, dizem, são as propostas em jogo.
Como mostrou a coluna Mônica Bergamo, o partido começa em fevereiro a discutir um programa para apresentar ao PT, com pontos como revogação de teto de gastos, forte agenda ambiental e revisão de reformas feitas nos governos de Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL).
A princípio, são compatíveis com o que o próprio Lula vem defendendo, mas há um temor de recuo por parte do PT em caso de aliança com Alckmin, de perfil mais à direita.
Caso os pontos sejam incorporados ao programa de governo, contudo, o PSOL está disposto a tolerar a presença do ex-tucano como neoaliado.

Ministério Público estuda pedir relatório ao Coaf sobre ganhos de Sergio Moro

Foto: Reprodução / Flickr Ministério da Justiça

Ainda vai causar muita dor de cabeça a a investigação aberta no TCU para apurar se houve conflito de interesses no contrato dele com a consultoria Alvarez & Marsal, que atuou como administradora da recuperação judicial do grupo Odebrecht.

Segundo o colunista Lauro Jardim, o Ministério Público junto ao TCU estuda pedir um relatório de inteligência ao Coaf para saber quanto Moro recebeu durante o ano que trabalhou na A&M. Cogita também solicitar essa informação às autoridades americanas.

Ao contrário do que parece, o ministro do TCU Bruno Dantas, que abriu a investigação, não determinou à consultoria que entregasse esses dados. Apenas pediu “a título de cooperação” que a Alvarez o fizesse. Mas o valor da remuneração recebida pelo juiz da Lava-Jato não consta do material já enviado.

 

Fonte = Bahia Noticias

Refinaria anuncia aumento e Bahia tem 3ª alta no valor do combustível em menos de um mês

Foto: Sindicombustíveis-BA

A Refinaria de Mataripe anunciou o terceiro aumento no valor do combustível em 2022. O aumento de 2,25% no litro da gasolina para as distribuidoras já tem validade desde o último sábado (22). A divulgação foi feita pela Acelen, empresa do Mubadala Capital que assumiu a gestão da empresa, antiga Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia.

Os funcionários não souberam informar se vai ter um novo aumento no valor do combustível no local. A Acelen informou ainda que além do reajuste de 2,25% na gasolina, também foi definido um aumento de 1,44% no diesel.

Na semana passada, a companhia já havia anunciado um reajuste de R$ 0,1956 para o diesel e de R$ 0,0468 para o litro da gasolina.

“Democracia faz mal ao Estadão”, diz Gleisi Hoffmann

247 – A presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann, respondeu, nas redes sociais, ao editorial do jornal O Estado de S.Paulo deste domingo, 23, que ataca o ex-presidente Lula (PT), sinalizando que pode se aliar mais uma vez a Jair Bolsonaro.

O jornal paulista escreveu que “considerando tudo o que o PT fez e deixou de fazer ao longo de seus 40 anos de existência – muito especialmente, no período em que Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff estiveram no Palácio do Planalto –, uma nova candidatura petista à Presidência da República não deveria suscitar entusiasmo na população”.

No Twitter, Gleisi respondeu que “a democracia faz mal ao Estadão”. “Editorial de hoje mostra que não se conformam com a vontade do povo, de trazer Lula de novo para reconstruir um país destruído pelo golpe do impeachment e por Bolsonaro”, diz.

“O que o povo não esquece é o Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Prouni, Lei de Cotas, aumento real de salário, emprego de qualidade com direitos, o país crescendo e distribuindo renda”, continua.

“O que o Estadão quer que esqueçam é a ‘escolha difícil’ que fez por Bolsonaro em 2018, junto com os grandes da mídia. Para salvar seus interesses de classe, colocaram no governo um bando de milicianos e fascistas”, argumenta.

“Não adianta falsear a história: a sociedade sabe hoje que a Lava Jato foi uma farsa comandada por um juiz parcial com motivações políticas, confessadas sem nenhum pudor na campanha eleitoral”, afirma.

“O povo tem memória sim, e é melhor respeitá-la do que insistir na mentira e na mistificação. O povo sabe quem de fato governou democraticamente, garantindo a voz e os direitos de quem sempre foi excluído”, justifica.
247

“Ciro foi covarde”, escreve Miguel do Rosário sobre ataques ao 247

Miguel do Rosário e Ciro Gomes (Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | ABr)

“Feroz e violento com um veículo alternativo; mansinho e educado com a mídia corporativa”, destaca o editor d’O Cafezinho

247 – O jornalista Miguel do Rosário, em artigo n’O Cafezinho, criticou o pré-candidato à presidência da República Ciro Gomes (PDT) pelos ataques que fez contra o jornalista Luis Costa Pinto, do Brasil 247. Ciro foi confrontado com uma simples questão colocada pelo jornalista Luís Costa Pinto, diretor editorial do 247, sobre a possibilidade de uma aliança entre as forças do campo progressista para derrotar Jair Bolsonaro.

Em sua resposta, Ciro Gomes, que está com 3% de intenções de voto segundo a última pesquisa PoderData, acusou o 247 de “não ser um órgão de imprensa” e de ser “um panfleto do Lula, pago com dinheiro sujo”.

Rosário diz que o jornalista “fez uma pergunta pertinente” e que “as respostas de Ciro foram infelizes”. “Não é a primeira vez que Ciro Gomes ataca um veículo independente, acusando-o de ter ligações com Lula, com o PT, e de receber financiamento ilícito”, diz o editor d’O Cafezinho.

“A fala de Ciro sintetiza um dos problemas centrais de sua campanha: uma falta de inteligência emocional que o vem isolando – e a seu partido – num ritmo que podemos chamar de dramático”, destaca.

“Foi um gesto covarde, mesquinho, antidemocrático e, de ponto-de-vista eleitoral, mais um dos incontáveis tiros que Ciro Gomes vem aplicando, criteriosamente, em seu próprio pé, desde que perdeu a vaga para Haddad no primeiro turno de 2018”, argumenta.

“Foi covarde porque jornalistas da grande imprensa já fizeram exatamente a mesma pergunta, e Ciro Gomes jamais os contrangeu com ataques aos veículos que representavam”, lembrou.

“Ciro apenas atacou o 247 por entender que, no atual ecossistema da comunicação brasileira, é um veículo que não conta com a simpatia das elites e dos outros grandes meios de comunicação. É um raciocínio típico de um covarde: feroz e violento com um veículo alternativo de esquerda; mansinho e educado com a mídia corporativa”, reforça o jornalista Miguel do Rosário.

247

CPI contra Moro recebe aprovação de Ciro Nogueira, ministro de Bolsonaro, e Arthur Lira

Segundo o site O Antagonista, o ministro da Casa Civil de Bolsonaro aplaudiu a sugestão do PT em um grupo de Whatsapp

247 – O ministro da Casa Civil de Jair Bolsonaro, Ciro Nogueira (PP-PI), aprovou a ideia do PT de articular a criação de uma CPI para investigar a consultoria prestada pelo ex-juiz suspeito Sergio Moro à empresa Alvarez & Marsal, que lucrou com pagamentos de empresas quebradas pela Lava Jato.

Segundo O Antagonista, o ministro postou a notícia em um grupo de WhatsApp, seguida de um gif de aplausos. O site apurou ainda que Arthur Lira (PP), presidente da Câmara dos Deputados, já teria garantido a instalação da comissão, cujas assinaturas serão recolhidas pelo deputado petista Paulo Teixeira.

O líder do PT na Câmara, deputado Reginaldo Lopes (MG), já solicitou formalmente que o TCU compartilhe o processo que investiga Moro.

A ideia da CPI surgiu depois que o TCU não conseguiu acesso ao salário pago pela Alvarez & Marsal a Sergio Moro durante os 10 meses de consultoria. O tribunal deve pedir ao Coaf que revele os ganhos.



WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia