(Foto: Reprodução | Felipe L. Gonçalves/Brasil247)

Jornalista afirmou que federações devem ser programáticas, e caracterizou o PSB como sigla dividida, cuja ala à direita atrapalharia. Assista

247 – O jornalista Breno Altman, em entrevista à TV 247, disse que o PT cometeria um erro ao formar uma federação com o PSB, que ele considera um partido dividido. “Há uma ala de direita no PSB”, lembrou Altman.

Contudo, ele não descarta a formação de uma aliança para auxiliar na disputa presidencial. “Acredito que o PT faria bem em ter uma aliança com o PSB, mas mal em constituir uma federação. São duas coisas diferentes. O PSB é um aliado na disputa presidencial, e o PT deve operar negociações nesse sentido. Agora, sou contra federação. Não é um passo seguro. É um passo perigosíssimo, que pode enfraquecer o PT e fortalecer um partido que tem um comportamento duvidoso, porque é um partido dividido. O PSB tem uma ala progressista e uma ala de direita. O Márcio França é da direita do PSB e é um aliado histórico dos tucanos em São Paulo. O Márcio França foi um apoiador do golpe contra a Dilma, defende as reformas liberais. Não faz qualquer sentido trazer para dentro de casa quem pensa assim”, disse.

Ele apontou diversos casos em que o PSB se posicionou à direita, seja no âmbito dos governos estaduais e prefeituras, como no Congresso. “Federações têm que ser construídas por unidade programática e por trajetória histórica. O Márcio França representa esse setor conservador. O Beto Albuquerque, no Rio Grande do Sul, assim como o PSB do Espírito Santo, também representam esse setor conservador. Esse setor tem no mínimo 40% do PSB, e mesmo na ala progressista você tem muitos problemas.