WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

secom bahia

embasa


(74) 99106-4031

janeiro 2021
D S T Q Q S S
« dez   fev »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


:: 27/jan/2021 . 12:05

Feira: Ônibus voltam a operar serviço após paralisação por atraso de salário

Feira: Ônibus voltam a operar serviço após paralisação por atraso de salário

Foto: Breno Antônio/ Revista dos Ônibus.

Rodoviários de Feira de Santana voltaram às atividades após paralisação nesta terça-feira (26). Segundo a prefeitura, desde as 5h30 desta quarta-feira (27), os ônibus – incluindo os do BRT, Bus Rapid Transit – já circulavam pela cidade. A volta ao trabalho se deve a um acordo entre os trabalhadores representados pelo sindicato [Sintrafs] e representantes das duas empresas que operam o serviço, Rosa e São João.

No entanto, não foram informados os detalhes do acordo. Durante a paralisação, os rodoviários cobravam o pagamento de salários atrasados. Em nota, a prefeitura disse que “desde a primeira paralisação, no último dia (21), adotou todas as providências necessárias para restabelecer a operação deste serviço essencial à população”.

 

Fonte: Bahia Notícias

Com dificuldade para comprar Sputnik V, Rui avalia adquirir outra vacina chinesa para Bahia

Com dificuldade para comprar Sputnik V, Rui avalia adquirir outra vacina chinesa para Bahia

Foto: Fernando Vivas/ GOV BA

O governador da Bahia, Rui Costa, afirmou nesta quarta-feira (27) que estuda adquirir a vacina contra Covid-19 produzida pelo laboratório estatal chinês Sinopharm. A medida surge como opção diante das dificuldades do estado de comprar a Sputnik V, imunizante produzido pelo governo russo, que não recebeu aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso no Brasil. Devido à negativa, a Bahia ingressou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o órgão a analisar e autorizar a distribuição da vacina.

Caso consiga acordo com a Sinopharm, o Brasil teria duas vacinas chinesas em aplicação no país. Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceira com o Instituto Butantan, de São Paulo, a Coronavac foi o primeiro imunizante a ser usado em campanha de vacinação em massa contra Covid-19 em solo brasileiro.

“A Coronavac tem apenas autorização emergencial, tanto na China quanto no Brasil. A outra tem autorização de uso definitivo pela agência reguladora chinesa. Mandei ofício para o laboratório para saber se há disponibilidade de doses, tanto para a Bahia quanto para o Brasil”, revelou Rui, em entrevista ao “Isso é Bahia”, programa da rádio A TARDE FM em parceria com o Bahia Notícias.

Ao falar sobre a Sinopharm, o governador voltou a criticar a Anvisa pelos procedimentos para aprovar uma vacina no Brasil. “Se o laboratório responder que tem doses, a Anvisa não vai aprovar porque não passou não testes no Brasil, sendo que ela já foi aprovada em larga escala na China. Ou seja, a Anvisa vai ter aprovado a vacina que só teve autorização emergencial na China [a Coronavac], mas não vai ter aprovado a que teve autorização definitiva”, ironizou.

O petista disse também que a Sinopharm desistiu de testar sua vacina no Brasil por causa da burocracia imposta pela Anvisa. “O que eles disseram, em conversas informais, é ‘Olha, não vamos insistir em fazer no Brasil quando a postura é de protelar, colocar dificuldades.’ Quem quer fazer procura uma forma. Quem não quer fazer, procura uma desculpa”, criticou.

Rui não descartou a possibilidade de governadores se reunirem para adquirir, em conjunto, vacinas contra Covid-19, caso o governo federal não compre quantidade de doses suficiente para distribuição no país.

“Nossa posição é muito clara, assim como a de outros governadores. O Brasil, historicamente, é reconhecido pela sua tradição em campanhas de vacinação. No meu entender, não devemos mudar aquilo que tem cem anos no Brasil, que a política de vacinação é coordenada, executada a partir de planejamento do governo federal. Apesar desse governo, que na minha opinião, é o pior da história de qualquer época, acho que não devemos mudar isso”, afirmou.

“Se necessário for, se o governo federal não fizer aquisição, por qualquer razão, nós admitimos, sim, eventualmente, fazer compras diretas do laboratório fabricante da vacina. Não compraremos de qualquer intermediário. Espero que isso não seja necessário”, enfatizou.

Fonte: Bahia Notícias

 

 

 

Após mudança na cúpula da SSP-BA, governo altera comandos nas polícias Civil e Militar

Após mudança na cúpula da SSP-BA, governo altera comandos nas polícias Civil e Militar

Foto: Elói Corrêa/ GOV BA

Uma série de mudanças em postos de comando da Polícia Civil e da Polícia Militar baianas foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (27). Alguns destaques são o delegado José Alves Bezerra Júnior, que deixa a diretoria do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para assumir o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco). Enquanto isso, o delegado Marcelo Sansão, exonerado do Draco, não foi alocado em nenhuma outra diretoria nesta publicação.

Essas mudanças ocorrem semanas após o governador Rui Costa (PT) nomear um novo secretário de Segurança Pública, Ricardo Mandarino, e novos comandante-geral da PM, coronel Paulo Coutinho, e delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito. Eles assumiram os cargos em decorrência da exoneração de Maurício Barbosa, que por anos esteve à frente da SSP-BA.

O antigo titular da pasta deixou o governo em dezembro, sob determinação judicial, por ter sido atrelado ao esquema criminoso de venda de sentenças ligadas à disputa de terras no Oeste da Bahia. Segundo os investigadores, Barbosa teria atuado para blindar os desembargadores do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) e demais suspeitos que operavam o esquema.

Com isso, o governador escolheu Mandarino para comandar a pasta e uma reestruturação nos postos internos vem sendo feita desde então. Confira as mudanças nas seguintes diretorias da Polícia Civil:

  • Departamento de Inteligência Policial (DIP): sai José Eduardo de Oliveira Barbosa, assume Edenir de Macedo Cerqueira;
  • Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP): sai José Alves Bezerra Júnior, assume Andréa Barbosa Ribeiro Magalhães Ribeiro;
  • Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco): sai Marcelo Costa Sansão, assume José Alves Bezerra Júnior;
  • Departamento de Polícia Metropolitana (Depom): sai Maria Fernanda Porfírio de Sousa, assume Cristiane Inocência Xavier Rodrigues Coelho;
  • Departamento de Polícia do Interior (Depin): sai Flávio Augusto de Andrade Gois, assume Rogéria da Silva Araújo;
  • Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP): assume Flávio Augusto de Andrade Gois;
  • Academia da Polícia Civil: assume Joelma Jezler Franco Palmeira;

PRINCIPAIS MUDANÇAS NA PM:

  • Comando de Policiamento Especializado da Polícia Militar: sai coronel PM Antônio Sérgio Albuquerque Freire, assume coronel PM Jorge Ubirajara Pedreira;
  • Comando de Policiamento Regional da Capital – Atlântico: sai coronel PM Manoel Xavier de Souza Filho, assume coronel PM Antônio Souza Sampaio Júnior;
  • Comando de Policiamento da Região Norte: sai coronel PM Nilton Paixão Silva Santos; não foi nomeado um novo comandante;
  • Comando de Policiamento da Região Sul: sai coronel PM Marcelo Luiz Brandão Teixeira, assume coronel PM Vanderval Meneses Ramos;
  • Comando de Policiamento da Região Leste: sai coronel PM Luziel Andrade de Oliveira, assume coronel PM Nilton Paixão Silva Santos.

 

         Fonte: Bahia Notícias

 

 

 

 

 

Ipac transfere para Secult atribuição de administrar largos do Pelourinho

Ipac transfere para Secult atribuição de administrar largos do Pelourinho

Foto: Jamile Amine/ Bahia Notícias

Através de uma Portaria publicada no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (26), o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado da Bahia (Ipac) transferiu para a Secretaria de Cultura (Secult) a atribuição de administrar os largos Tereza Batista, Pedro Archanjo e Quincas Berro D’Água, localizados no Pelourinho, em Salvador.

Para justificar o repasse da responsabilidade, o Ipac destaca que “os espaços culturais do Centro Histórico devem servir como locais de criação, intercâmbio e qualificação de criadores culturais e ainda para a difusão e circulação de produção cultural”, além de serem “referência cultural para os territórios nos quais estão inseridos, permitindo o acesso livre à comunidade e à sociedade civil”.

O Ipac pontuou ainda que com a Portaria nº 279, de 06 de dezembro de 2017, os largos foram destinados à realização de atividades de “natureza cultural”, destacou que a Secult é responsável pela gestão e conteúdo cultural dos espaços e lembrou que é atribuição da pasta também a dinamização e atendimento das demandas culturais.

Diante dos argumentos citados acima, o Ipac resolve “repassar à Secult a gestão administrativa e cultural, o acompanhamento técnico e demais responsabilidades inerentes à gerência dos espaços denominados Largo Tereza Batista, Largo Pedro Archanjo e Largo Quincas Berro D’Água”.

O órgão determinou ainda que obras e intervenções, por serem atribuições regimentais do Ipac, seguem sob responsabilidade da autarquia, mas “vinculados à disponibilidade orçamentária da Secult”. Por fim, ficou decidido que “casos omissos serão dirimidos entre o Ipac e Secult”. A portaria nº 006, de 25 de janeiro de 2021, entra em vigor a partir da publicação, nesta terça.

Fonte: Bahia Notícias


WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia