Em artigo publicado neste sábado na Folha de S. Paulo, o sociólogo Demétrio Magnoli tentou explicar por que acredita que os brasileiros tendem a respeitar cada vez menos as regras de isolamento social. “O comportamento dos jovens, aqui ou na Europa, só pode ser alterado por períodos relativamente curtos. Jornalistas que apontam o dedo acusador para aglomerações de ambulantes, pancadões da periferia ou praias lotadas fugiram das aulas de sociologia”, diz ele.

“A pandemia é o teste de fogo das lideranças políticas. Bolsonaro não é Merkel e nem mesmo Trump, que ao menos deflagrou a corrida pela vacina. Nosso governo apostou no vírus —isto é, na polarização política, na guerra contra moinhos de vento, na sabotagem perene das medidas indispensáveis de restrição sanitária. A ironia é que, dez meses depois, Bolsonaro está vencendo —e não só graças aos efeitos mágicos do cheque emergencial”, escreve ainda Magnoli.

“A vacinação em massa tardará. Os governadores que negam o negacionismo precisam formular novas estratégias”, alerta.